DERROTADO NA CCJ E SEM APOIO POPULAR, DECRETO DE ARMAS VOLTA A SER DEFENDIDO POR BOLSONARO

Um dia após Comissão do Senado rejeitar decreto de armas, Bolsonaro diz que “povo” não será derrotado; segundo pesquisas de opinião, apenas um terço da população defende a posse de armas

Nesta quinta-feira (13), um dia após a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado rejeitar parecer favorável ao decreto das armas, Jair Bolsonaro declarou que acredita que “o povo” não será derrotado no plenário.

“A derrota não é minha. Eu não acredito que o Parlamento vá derrotar o povo. Eles decidirem em 2005 pelo direito de comprar armas e munições”, disse Bolsonaro em coletiva de imprensa.

O presidente ainda disse que o decreto “apenas bota limites ali”: “Muita coisa está em aberto e a legislação nos dá esse direito, via decreto, de adequar a lei na sua plenitude.O que nós fizemos? Não tem nada de inconstitucional ali, é o nosso sentimento”.

Apesar de Jair Bolsonaro falar em “derrota do povo”, o projeto não tem apoio da maioria da população. Segundo pesquisa do Instituto Datafolha apenas um terço dos brasileiros (34%) é favorável à posse de armas. A rejeição atingiu em abril a segunda maior porcentagem da série histórica – iniciada em 2013 com 68% -, com 64% dos brasileiros contrários.

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão do MPF, considera que o decreto é inconstitucional e favorece “organizações criminosas e milícias”.

Fonte: Revista Fórum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *