GIL CUTRIM E EDUARDO BRAIDE FORAM AS SURPRESAS DO MA NA REFORMA


Por Raimundo Borges

Surpresas de votos da bancada maranhense que aprovou ontem o texto básico da  Reforma da Previdência, ficaram por conta dos deputados Eduardo Braide, do nanico PMN, que foi contra, e Gil Cutrim, do PDT que foi favorável. Braide, querendo ou não ficou junto com os colegas de oposição do PCdoB e do PSB que, cuja bancada também compareceu rachada ao placar de votação. Já o pedetista Gil Cutrim mostrou que nunca navegou no mar revolta de oposição a qualquer coisa.

O PDT, cujo presidente Carlos Lupi havia orientado a bancada a fechar questão contra a Reforma da Previdência, que considera prejudicial aos trabalhadores, teve oito votos rebeldes, cujos “traidores” deverão passar por processo de expulsão. São eles: Gil Cutrim (MA), Alex Santana (BA), Flavio Nogueira (PI), Jesus Sérgio (AC), Marlon Santos (RS), Silvia Cristina (RO), Subtenente Gonzaga (MG) e Tabata Amaral (SP).

Ao mesmo tempo, o líder da legenda na Câmara, André Figueiredo (CE), orientou sua bancada a votar contra a medida e chamou de “futuros traidores” deputados que desobedecessem a orientação. A situação do deputado Gil Cutrim e dos demais que deram uma de “bolsonarista”, se complicou no PDT. Ele poderá entrar na lista dos que provavelmente serão expulsos da legenda por não terem seguido as recomendações da direção nacional, que havia fechado questão contra o projeto.

Horas antes do início da votação, o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, postou texto e vídeo no Twitter, no qual pede para os que forem a favor da reforma escolherem seu lado. “Quem quiser o lado dos banqueiros, que vá para o lado de lá. O Trabalhismo Brasileiro, desde Getúlio Vargas, é para defender o trabalhador, o pobre, a classe média. Esta reforma da previdência é nefasta!”.

Já o ex-governador do Ceará Ciro Gomes, candidato a presidente da República pelo partido em 2018, e pode repetir o efeito em 2022, foi mais contundente na defesa de punição dos que se rebelaram.

Carlos Luppi e Ciro Gomes defendem expulsão de pedetistas pró reforma

“A tentativa de compra de votos por dinheiro de emendas ou ofertas mentirosas a estados e municípios ronda, neste momento, até os partidos de oposição. Defenderei que o PDT expulse aqueles que votarem contra o povo nesta reforma de previdência elitista”. Proclamou Ciro Gpomes.

Depois de apurados os votos, veio a surpresa até para o presidente Jir Bolsonaro, cujo articulador e ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni que esperava 355 votos favoráveis e o resultado bateu em 379, contra 131. Também foi surpresa para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que, emocionado, foi às lágrimas.

O Maranhão o Maranhão disse não à reforma com apenas quatro votos, dos 18 da bancada completa. Contra, votaram Márcio Jerry, (PCdoB), Bira do Pindaré (PSB), Zé Carlos  (PT) e Eduardo Braide (PMN). Os votos a favor foram muito além do que o estimado até mesmo base governista, 74,3% dos 310 deputados no plenário votaram sim.

Resultado da votação

Sim: 379
Não: 131
Total da Votação: 510
Total Quorum: 510

 

Saiba como foi a votação dos deputados maranhenses:

Maranhão (MA)
Aluisio Mendes Podemos Sim
André Fufuca PP PpMdbPtb Sim
Bira do Pindaré PSB   Não
Cleber Verde PRB Sim
Edilázio Júnior PSD Sim
Eduardo Braide PMN   Não
Gastão Vieira PROS Sim
Gil Cutrim PDT Sim
Hildo Rocha MDB PpMdbPtb Sim
João Marcelo Souza MDB PpMdbPtb Sim
Josimar Maranhãozinho PL Sim
Junior Lourenço PL Sim
Juscelino Filho DEM Sim
Márcio Jerry PCdoB   Não
Marreca Filho Patriota Sim
Pastor Gildenemyr PL Sim
Pedro Lucas Fernandes PTB PpMdbPtb Sim
Zé Carlos PT   Não

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *