Gleisi Hoffmann vem acordar o PT como oposição ao PMDB

Por Raimundo Borges

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann desembarca amanhã em São Luís, em, peregrinação pelos estados. Objetivo é reanimar o partido, chamar a militância à sua antiga postura de oposição dura ao governo e, principalmente, protestar contra a condenação com pedido de prisão para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sua estrela maior. Ela deve indicar também o rumo do PT para as próximas eleições.

O Maranhão, hoje sob o comando do PCdoB de Flávio Dino, tem sido o estuário maior dos programas sociais dos governos petistas, como Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, programa de habitação rural, além de vários outros. Não foi sem outro motivo que Lula e Dilma Rousseff obtiveram estrondosas votações no Maranhão, chegando a mais de 90% dos votos, em alguns municípios, como foi em Serrano.

Augusto Lobato, presidente do PT-MA

O PT e o PCdoB no Maranhão historicamente disputaram e dividiram entre si os movimentos sociais, sindicais e estudantis. Mesmo assim, em termos de representação parlamentar, o PT nunca foi tão avantajado quanto o PMDB, por exemplo. Os motivos são claros: o PT nunca governou o Maranhão; chegou à prefeitura de Imperatriz, segundo municípios mais importantes do estado, mais saiu de lá desengonçado.

Só chegou ao poder com articulação do então presidente regional, Washington Oliveira, puxado pelas mãos habilidosas do ex-presidente e ex-senador José Sarney, para mostrar força política nos governos de Lula e Dilma e para ganhar seu tempão de televisão, na campanha de Roseana Sarney, em 2010 e Lobão Filho, em 2014. Foi quando os Sarney conseguiram tirar o PT de seu aliado histórico no Brasil, o PCdoB, que acabou derrotando-o numa batalha histórica nunca ocorrida antes no Brasil.

Mesmo diante da maior crise política do país, que teve como maior impacto da derrubada de Dilma Rousseff do Planalto em 2016 e a condenação do ex-presidente Lula em 2017, o PT, ainda assim, tem uma ala roseanista no Maranhão. São os petistas que fizeram parte de seu governo e que até hoje repugna Flávio Dino e contam os dias em que esperam ver Roseana Sarney disputando mais uma eleição de governadora.

Tudo esse ambiente confuso é que a presidente nacional Gleisi Hoffmann vai encontrar seu partido no Maranhão, com o presidente Augusto Lobato recém-empossado no diretório regional, cuja eleição teve apoio direto do Flávio Dino. Talvez a passagem de Hoffmann pelo Estado possa levar o PT mais para perto de Flávio Dino. Ele tem adotado posicionamentos duros de combate ao golpe de 2016. Assim como faz a defesa de eleições diretas agora, bandeira levantada, também, pelo PT e inúmeras entidades de peso, como a CNBB, federações de trabalhadores e movimentos sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *