Cuidado com a saúde é um dos motivos da hesitação de Roseana para disputar o Governo

Aquiles Emir

Embora demonstre ter superado alguns dos problemas de saúde que mais lhe incomodavam, este tem sido um dos principais motivos da hesitação de Roseana Sarney (PMDB) para disputar o Governo do Estado em 2018. Aos que insistem para antecipar sua condição de pré-candidata, ela puxa por esse argumento, além de se achar em idade avançada para aventuras de campanha e questões familiares.

Antes mesmo do primeiro mandato, conquistado em 1994, ela já enfrentava esses problemas, e foram pelo menos 13 cirurgias a que se submeteu em diversas partes do corpo – intestino, estômago, pulmão e cabeça – e uma das mais graves foi em 1998, quando retirou parte do intestino, e praticamente foi reeleita de um leito de hospital em São Paulo, pois recebeu alta faltando poucos dias para a votação que disputava com o ex-senador Epitácio Cafeteira.

Nesta quinta-feira (04), quando participou da reunião da Executiva Estadual do PMDB, a ex-governadora, depois de ouvir vários apelos para enfrentar Flávio Dino no próximo ano, não fechou questão, mas lembrou mais uma vez dos cuidados que precisa ter com sua saúde. No governo passado, de 2011 a 2014, segundo ela, sua agenda, muitas vezes, era alternada entre o Palácio dos Leões e leito de hospital, internações que eram ocultadas pela sua assessoria, porém diversas vezes em que suspendia seus compromissos, havia quem dissesse que estava sob efeito de forte medicação.

Não bastasse sua própria saúde, Roseana acha que precisa estar mais presente na vida da família, pois vê com muita preocupação os problemas oriundos da idade avançada dos pais – o ex-senador José Sarney e Dona Marly – e entende que, por ser a única filha, essa atribuição é maior para ela, já que os irmãos, Fernando e Sarney Filho, têm suas atividades, empresariais e políticas, e ela está aposentada, por isto acha que seria um grande sacrifício sair desta nova rotina e voltar à agitação da vida pública, embora sinta motivação sempre que se sente agredida ou “acusada injustamente” pelos seus adversários.

A revelação da ex-governadora pode ser colocada em dúvida pelos adversários diante das suas imagens em pleno vigor, como foi sua aparição na festa de despedida do governo, em dezembro de 2014, na Casa de Veraneio de São Marcos, onde subiu ao palco, cantou e dançou com o Bicho Terra e outros artistas. Segundo um ex-assessor, apesar da luta contra a enfermidade, ela nunca perdeu o gosto pela vida e sempre que pode desfruta das festas que tanto gosta, até porque é uma apaixonada pela cultura local.

Fonte: www.maranhaohoje.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *