Braide, cauteloso, não se afoba em ser candidato ao governo, como pretende o tucano José Reinaldo 

Por Raimundo Borges

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN), que aparece pesquisas mais recentes em terceira posição – mas bem distante de Roseana Sarney e Flávio Dino – nas intenções de voto para governador do Maranhão, está cauteloso sobre o lançamento de sua candidatura. Ele, mesmo apoiado por José Reinaldo, do PSDB,  vem analisando os cenários e esquivando-se até de falar com jornalistas sobre quando vai oficializar o projeto de candidatura, ou descartá-lo de uma vez por todas.

Como as convenções vão de 20 de julho até o dia 5 de agosto, Braide tem ainda bastante tempo para decidir o rumo político. Se vai concorrer ao governo, tentará novo mandato na Assembleia Legislativa enquanto se prepara para a eleição de prefeito de São Luís, em 2020, ou optará por uma vaga de deputado federal. Os cenários em que caberia uma terceira via, até agora é desfavorável, pela força política dos dois principais concorrentes ao governo – Flávio Dino e Roseana Sarney. Esta e demais concorrentes pegarão a mesma faixa de eleitorado de oposição a Flávio Dino.

Com apenas 5 e 6% das intenções de voto, ainda é pouco para o tamanho da disputa do governo. O eleitorado maranhense tem demonstrado que tende a votar no candidato governista ou na oposição. Hoje, essa oposição virou governista com Flávio Dino contra o grupo Sarney, e vice-versa. Por longas décadas o sarneísmo deitou o rolou na disputa do governo, até ser derrotado em 2006 por Jackson Lago que, no entanto, ficou apenas 30 meses no cargo, até ser cassado por ação de Roseana Sarney (MDB).

Eduardo Braide tem contra sua o tamanho o partido nanico, que elegeu em 2016 apenas dois prefeitos de municípios insignificantes. Não tem lastro político no Maranhão, embora sendo deputado estadual com atuação acima da média, na Assembleia Legislativa. O partido não tem tempo de TV nem possibilidade de participar dos debates de TV – salvo se for convidado pela emissora. Mesmo assim sujeito a ser questionado na Justiça Eleitoral.

A favor dele tem o eleitorado cansado de mazelas das velhas práticas políticas e dos políticos velhos, sem nada de novo a oferecer a não ser as velhas baixarias e perseguição midiática. Isso já causa revolta no eleitorado (que deseja outro Maranhão), hoje com espaços infinitos nas redes sociais, para dizer o que bem lhe convier. Braide é jovem e advogado estudioso, além de possuir argumentação forte como opositor. Mas Dino é um governo diferente na ação política, na prática de gestão e extremamente preparado.

Contra ponto, ainda, a favor de Braide o fator José Reinaldo Tavares. Como pré-candidato a senador, Reinaldo praticamente assumiu a coordenação do projeto de candidatura do PMN, o que irritou a cúpula do PSDB, partido que tem Roberto Rocha no páreo e lhe deu guarida no momento em que deixou o PSB e o DEM lhe fechou a porta de entrada, e ele já rompido com Flávio Dino. Até onde Zé Reinaldo pode desafiando os tucanos maranhenses é a pergunta que não quer calar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *