A batalha dos institutos para frear vitória de Dino no Maranhão

Quatro pesquisas de quatro institutos: dois apontam vitória do atual governador em 1º turno, dois colocam Roseana Sarney no 

Uma nova pesquisa de intenção de voto realizada no Maranhão surpreende ao mostrar uma tendência contrária ao que vinha sendo apontado por levantamentos de outros institutos de pesquisa. Encomendada pelo jornal O Estado, do Maranhão, o trabalho feito pela Escutec mostra o governador e candidato à reeleição Flávio Dino (PCdoB) com 42% das intenções de voto, contra 36% de Roseana Sarney (MDB) mostrando, pela primeira vez, a possibilidade de disputa no segundo turno. Isto, na pesquisa estimulada, quando os nomes dos candidatos são apresentados antes da resposta dos entrevistados.
Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados são chamados a dizer, livremente, em quem votariam, Flávio Dino foi citado por 23%, e Roseana por 16%. Os demais candidatos não alcançam dois dígitos. O levantamento foi registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-07603/2018, com margem de erro de 2% para mais ou para menos. Foram escutados 2 mil eleitores em mais de 80 municípios, entre os dias 25 e 28 de agosto, antes da propaganda eleitoral gratuita que deverá favorecer ainda mais Dino, uma vez que ele conta com o dobro de tempo do que a sua principal oponente.
Chama a atenção, entretanto, que outras pesquisas recentes divulgadas por outros outros três institutos mostram Flávio Dino com fortes chances de vitória, dois deles ainda no primeiro turno.
No dia 24 de agosto, o Exata publicou, em parceria com o JP, que o governador liderando isolado com 61% das intenções de voto, praticamente o dobro do registrado por Roseana (31%). O Exata entrevistou 1401 eleitores entre os dias 19 e 23 de agosto de todas as regiões do Estado e registrou a pesquisa no TSE com o protocolo MA-07422/2018. A margem de erro é de 3,2% para mais ou para menos.
Um dia antes, 23 de agosto, o Ibope em parceria com a TV Mirante, reforçou a tendência de vitória de Dino, entretanto, trazendo uma margem menor de votos para o governador: 43% contra 34% para Roseana. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.
O levantamento foi questionado pelo partido de Dino, que tentou barrar sua publicação na Justiça sob os argumentos de que os resultados não foram coletados em todas as regiões do estado, podendo gerar dúvidas, além disso, o instituto havia errado nas últimas três eleições para o estado. Em 2014, por exemplo, o Ibope/Mirante publicou, às vésperas do primeiro turno, pesquisa onde Dino surgia com 49% e Lobão Filho, candidato pelo MDB, com 32% das intenções de voto, mostrando a tendência de segundo turno. Entretanto, o candidato do PCdoB foi eleito em primeiro turno com 63,52% dos votos válidos. Lobão Filho levou 33,69%.
O Tribunal Regional Eleitoral rejeitou o recente pedido do PCdoB de “impugnar” da pesquisa Ibope/Mirante, permitindo seu registro no TRE-MA sob o nº MA-00502/2018.
O segundo instituto que corrobora, neste ano eleitoral, as chances de Dino vencer em primeiro turno foi realizado pela Econométrica a pedido da TV Guará. Divulgado no último sábado (1º), o levantamento aponta Dino com 37% na pesquisa espontânea, e Roseana com 16,1%. Na pesquisa estimulada, Dino avança para 53,1% das intenções de voto, contra 28,8% da sua adversária direta.
Vale destacar que O Estado, responsável pelo levantamento mais recente, e que leva Roseana para o segundo turno, divulgou também nesta quarta-feira (05) uma matéria desmerecendo o trabalho da Econométrica porque a pesquisa registrada no TRE acabou levando o nome de uma técnica estatística já falecida, Celene Raposo.
Mas outra análise que pode ser feita sobre as divergências de resultado é que podemos estar assistindo a uma verdadeira guerra de informações no Maranhão. Os dados dos institutos de pesquisa podem tanto ser usados para influenciar a opinião pública em favor de um candidato, como também para pavimentar uma possível manipulação de resultados nas urnas.
Para entender 
A gestão Flávio Dino é hoje apontada como a principal responsável pela derrota dos cinquenta anos da “dinastia Sarney” no Maranhão. Nas eleições municipais de 2016, o grupo político de Dino conquistou 153 prefeituras dos 217 municípios do estado, 46 dessas para seu partido, o PCdoB. Quatro anos antes, os partidos que se uniam em oposição ao PMDB (hoje MDB), da família Sarney, tinham conquistado apenas 17 prefeituras, sendo 4 do PCdoB.
Em entrevista ao “Sala de visitas com Luis Nassif”, em 2016, Dino ponderou que a vitória nas urnas naquele ano apenas ratificou a satisfação dos maranhenses com seu governo. Um estudo nacional realizado pelo portal G1, do Grupo Globo, corroborou meses mais tarde, mais especificamente em julho deste ano, a avaliação de Dino, apontando o governador do Maranhão como o político que mais cumpriu os compromissos de campanha, entre todos os governadores do país. Das 37 propostas anunciadas antes de assumir o mandato, cumpriu 35 ou 94,59%.
Ainda, segundo o G1, o governador que fica mais perto de Dino é Confúcio Moura, ex-governador de Rondônia, que deixou o cargo em abril para concorrer outro cargo nestas eleições, com 87,88% das promessas cumpridas, seguido pelos governadores de Goiás (86,36%), Ceará (85%) e Pará (83,3%).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.