Enem 2018: 1º dia de provas tem carta de Henfil para Geisel, culto à pátria de Getúlio Vargas, a obra ‘1984’ e o ônibus de Rosa Parks

O primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2018) pediu aos estudantes diverso conceitos de filosofia de Epicuro, na Grécia Antiga, até Guy Debord, na modernidade. Em linguagens, os destaques foram para um trecho da obra “1984”, de George Orwell e os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e a Agenda 203 da ONU.

 

Outros temas pedidos foram um trecho da carta escrita pelo cartunista Henfil em 1969 para o General Ernesto Geisel e um desenho retirado de uma cartilha infantil ilustrando Getúlio Vargas conversando com duas crianças sobre a importância de aprender em casa e na escola a amar a pátria, da época do Estado Novo.

A ativista americana Rosa Parks, que entrou na história ao desafiar uma lei de segregação entre negros e brancos nos Estados Unidos, também inspirou uma questão do Enem. O ônibus no qual ela sentou nos primeiros lugares, recusando-se a usar apenas os assentos traseiros, destinados a negros, foi o centro do enunciado.

Redação

A prova de redação teve como tema “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. teve quatro textos motivadores, sendo que três deles são trechos de reportagens e um trouxe um gráfico com dados.

Duas das três reportagens citam diretamente os algoritmos e foram publicados em 2016. Um deles, “O gosto na era do algoritmo”, foi publicado em 2016 pelo jornal “El País” e escrito pelo jornalista Daniel Verdú. O outro, chamado “A silenciosa ditadura do algoritmo”, é de autoria do jornalista brasileiro Pepe Escobar.

A terceira reportagem, também de 2016, foi publicada pela BBC Future. De autoria de Tom Chatfield, o texto chama “Como a internet influencia secretamente nossas escolhas”.

O gráfico que aparece na prova de redação é um organograma de dados produzido pelo IBGE com o perfil dos usuários de internet no Brasil em 2016, com detalhes sobre o uso da internet entre homens e mulheres.

Ciências humanas

O filósofo e teólogo Santo Agostinho também caiu no Enem 2018, assim como um trecho da série literária ‘O tempo e o vento’, do escritor Érico Veríssimo, inspirando uma questão sobre a Primeira República e a obra do filósofo russo Tzvetan Todorov sobre a conquista da América.

Linguagens

Já na prova de linguagens, os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos inspirou uma das questões. No texto, o candidato tinha que dizer quais eram os objetivos da Agenda 2030, a partir da interpretação de uma entrevista.

Programa ao vivo

O primeiro dia do Enem 2018 começou às 13h deste domingo (4). Às 18h30, o estúdio do G1 em São Paulo dará início a um programa em vídeo ao vivo com professores do Sistema COC de Ensino. Eles comentarão os níveis de dificuldade de cada uma das provas, o tema da redação e os pontos mais polêmicos que caíram no Enem.

Candidatos que fizeram a prova poderão participar do programa enviando perguntas usando a hashtag #G1Enem.

Resolução das questões

G1 trará ainda a resolução das 90 questões de domingo preparadas pelos professores do COC. O gabarito oficial do Enem será divulgado pelo MEC em 14 de novembro.

Fonwte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.