COM LIBRAS E VOLUNTARIADO, MICHELLE FOGE DA SOMBRA DE BOLSONARO

Ela quebrou o protocolo e discursou em Libras (Língua Brasileira de Sinais) na posse de Jair Bolsonaro (sem partido).

Um ano depois, Michelle Bolsonaro tem mostrado ser uma primeira-dama disposta a extrapolar a órbita do marido.

Ao longo de 2019, Michelle ajudou a lançar o projeto Libras Gov, que criará sinais em Libras para pessoas, cargos e funções ligados aos Três Poderes, e o programa Pátria Voluntária, de incentivo ao trabalho voluntário no país. Nesses eventos, discursou no salão nobre do Planalto junto a grupos de crianças e organizações de ajuda a pessoas com deficiência.

Antes de Bolsonaro se tornar presidente, ela já era engajada na área da linguagem de sinais e intérprete de Libras na Igreja Batista Atitude, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Agora como primeira-dama, Michelle, que tem familiares surdos, ganhou espaço para ampliar a visibilidade do assunto.

Neste ano, a primeira-dama também trabalhou de forma conjunta com os ministérios da Cidadania e da Saúde em prol de projetos voltados à primeira infância. Um deles foi o Criança Feliz, que contou com sua antecessora no posto, Marcela Temer, como embaixadora informal.

Michelle ainda esteve na Câmara dos Deputados mais de uma vez em 2019 para eventos relacionados a pessoas com deficiência, como microcefalia, e doenças raras.

“Quero dedicar os meus esforços de conscientização não só a todas as pessoas afetadas por enfermidades raras, mas também aos agentes de saúde, às instituições sociais e aos familiares que corajosamente todos os dias lutando pelo avanço desta causa. Contem com o meu apoio, pois essa é a minha luta”, disse no plenário da Casa, em fevereiro.

Mais em UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.