Cármen Lúcia contraria Lava Jato e STF forma maioria a favor de liberação da Spoofing para Lula

Revista Fórum – Além da ministra, Ricardo Lewandowski e Kassio Nunes Marques rejeitaram a petição. Até o momento, apenas Edson Fachin foi favorável aos procuradores de Curitiba. Gilmar Mendes ainda vai dar seu voto.

“Eu li todo o material e fico com um dado que me chama a atenção. A Polícia tem acesso a dados, o Ministério Público tem acesso a dados, mas a defesa não tem?”, questionou Cármen Lúcia.

A ministra no entanto, destaca que seu voto não garante “validade ou licitude à circunstância de dados obtidos”. Assim como Nunes Marques e Lewandowski, a magistrada destacou que a petição não tem validade por ter sido apresentada pelos procuradores em benefício próprio.

No relatório, Lewandowski sustentou o seguinte: “Quando o interesse público está em jogo não há falar em sigilo, em confidencialidade”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.