Tributo a Dra. Elimar

 

Luiz Gonzaga Martins Coelho*

Nesta terça-feira, 03 de agosto, comemora-se o aniversário natalício de Dra. Elimar. A vida é como um livro, em que cada página representa um dia. Cada um de nós é ator de seu livro, e escreve a cada dia sua história.

Elimar Figueiredo de Almeida e Silva é daquelas personalidades sobre as quais é difícil falar, tal a gama de feitos e contribuições para a cultura maranhense, e, de forma muito especial, para a instituição do Ministério Público.

Tivemos a felicidade de iniciar nossa vida funcional, como servidor público, trabalhando no Ministério Público do Maranhão como oficial de gabinete na gestão de Dra. Elimar, à época, Procuradora-Geral de Justiça. Desde então, desfrutamos de sua amizade e passamos a admirar suas qualidades, registradas ao longo de sua trajetória institucional e testemunhadas por todas e todos que partilharam dessa rica vivência e têm o privilégio de seu convívio.

De fato, não é possível contar hoje a história do Ministério Público Maranhense sem as inúmeras páginas escritas por essa mulher guerreira e visionária que serviu brilhantemente e com muita competência essa instituição por mais de 40 anos e hoje curtindo sua merecida aposentadoria continua sábia e lúcida, mantendo-se uma verdadeira lenda viva e referência para todos. Foi a primeira mulher a ser Corregedora-Geral do Ministério Público, a primeira mulher a presidir a Associação do Ministério Público do Maranhão – AMPEM e a primeira pessoa a ocupar o cargo de Procurador-Geral de Justiça a partir de eleição pela classe no Maranhão, destacando-se como primeira mulher a se tornar Procuradora-Geral de Justiça do Brasil.

Com todos esses feitos e merecimentos, por ter exercido com dignidade suas funções como membro do Ministério Público, quando Procurador-Geral de Justiça (gestão 2016-2020) tivemos a iniciativa de propor ao Programa Memória Institucional do Ministério Público do Maranhão, uma homenagem especial a essa grande mulher que pelo seu pioneirismo marcou época no parquet maranhense.

Para registrar esse momento, antes do término do meu mandato, fizemos publicar eletronicamente e disponibilizamos fisicamente os livros “Horizontes: Reflexões no Ministério Público”, uma obra histórica contendo quarenta e dois discursos, em estilo escorreito e elegante que marcaram seus 42 anos dedicados ao Ministério Público Timbira e, “Eu sempre acho que vale a pena ser Ministério Público”, este uma linha de ação da história oral do Programa Memória, contendo o depoimento, fruto de entrevista gravada em meio audiovisual, onde a autora narra toda sua história pessoal e funcional, sobretudo falando de vidas, afetos, lutas, sofrimentos, tensões e dificuldades que teve para conciliar o exercício simultâneo do múnus público e das muitas missões como esposa, mãe e avó.

Registra-se, que esses documentos históricos, recortes de jornais, fotos, depoimentos, áudios e vídeos colhidos na linha de história oral do Programa Memória estão disponíveis à sociedade maranhense nos totens eletrônicos no espaço multimídia do memorial do Ministério Público, que fica localizado na Rua Osvaldo Cruz, nº 1396, no Centro de São Luís (MA).

Ainda como parte comemorativa dos 30 anos da investidura da Dra. Elimar Figueiredo no cargo de Procuradora-Geral de Justiça, como dito anteriormente e faço questão repeti-lo pela sua importância histórica, primeira mulher a exerce-lo em decorrência de eleição pela classe no regime democrático da constituição de 1988, também lançamos na versão virtual um catálogo Memorabília 2020, contendo 24 painéis agrupados em 8 expositores que registram a trajetória de vida da homenageada, cuja mostra física estava programada para o dia 15 de maio de 2020, em comemoração ao primeiro aniversário da Lei que instituiu o Dia Estadual do Ministério Público, o qual não pôde acontecer presencialmente ante o cenário indesejável da chegada da pandemia do COVID-19.

Todas essas homenagens, justas e merecidas, ainda são poucas, diante da magnitude, grandeza e incontáveis feitos da aniversariante. Dentre tantos qualitativos a identifica-la, sua inteligência e intelectualidade se destacam pelo refinamento literário e aguçada sensibilidade social e jurídica, mas sobretudo, pelo seu inabalável compromisso com a justiça, amor e paixão às letras.

Resolvi homenageá-la hoje e tornar público através dessa crônica, depois do que vi e ouvi no último dia 30 de julho, ao participar da solenidade de lançamento e autógrafos do livro “Mulheres longevas e suas memórias em tempos de pandemia”, um belíssimo evento idealizado e promovido pelo Centro de Acolhimento Zelo e Arte, onde Dra. Elimar no auge de seus bem vividos 93 anos, com extrema lucidez, sagacidade e inteligência cognitiva proferiu as sábias palavras: “Sou privilegiada, otimista e feliz. Sonho com o futuro onde impere a justiça e a paz. Amo a poesia. A natureza é minha maior inspiração. Eu tenho certeza que passado essa pandemia o mundo ressurgirá melhor, os homens serão mais solidários, mais conscientes com seus propósitos de viver. Nós precisamos nos conscientizar que a vida não se resume a poucos momentos de felicidades, abrange a tudo que nos cerca”. Que assim seja! Parabéns!

Dizia meu eterno mestre e amigo Alberto Tavares “a velhice é estado de espírito ou mero preconceito aritmético”. Tal assertiva é verdadeira e pode ser constatada pela lucidez da homenageada que apesar da longevidade está produzindo conhecimento com tanta sabedoria.

Estendo meus parabéns ao Centro de Acolhimento Zelo e Arte pela iniciativa tão cheia de significados, de procurar estimular a inteligência cognitiva selecionando e fazendo publicar 10 artigos produzidos por mulheres maiores de 75 anos, contando a decana com 101 anos de idade. Nesse contexto em que a pandemia do novo coronavírus nos impôs novos estilos de vida e isolamento social, a Academia da Memória redescobre e busca o prazer da felicidade através do envelhecimento ativo, onde mulheres longevas dão um belo exemplo do que é sentir útil e construir o longeviver.

  • *Luiz Gonzaga Martins Coelho, Promotor de Justiça Titular da 40ª Promotoria de Justiça Especializada – 4º Promotor de Justiça da Infância e da Juventude do Termo Judiciário de São Luís (MA), ex-Procurador-Geral de Justiça e ex-Presidente da AMPEM.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *