Nada como dantes

Pr Raimundo Borges
O Imparcial – O futuro do Maranhão sobre as eleições de 2022 é tão incerto quanto o do Brasil com ou sem Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto em 2023. Os cenários apesar de divergentes, porém não diminuem as preocupações sobre quem vai governar em Brasília e no Palácio dos Leões.

Os governantes vão encontrar o pós-pandemia, com todas as sequelas na vida da população e na economia. No Maranhão Flávio Dino vai terminar sete anos de governo, deixando um jeito completamente diferente de governar.Não será tarefa fácil querer mudar o legado do atual governador sem provocar prejuízos imensos.

Flávio Dino vai terminar sete anos de governo

Dino, que pôs fim ao mandonismo dos Sarney-Lobão-Murad, optou por investir pesado na Educação, sem, no entanto, Saúde, infraestrutura e outras áreas. São Políticas com um olhar diferenciado, voltado às questões sociais profundas, as quais têm tudo a ver com o aprendizado escolar desde o fundamental à Universidade.

Os resultados dos programas “Escola Digna”, Tempo Integral, IEMA e ampliação da Uema para o interior já apresenta resultado. Mas nem tudo é imediato. Trata-se de um processo que se desenrola ao longo de anos continuados. Mas hoje ninguém nega os avanços, jáaparecendo nos indicadores de educação e também no de natureza social.

Como são vários pré-candidatos que se propõem a disputar o Palácio dos Leões em 2022 de dentro e de fora do bloco liderado por Flávio Dino, torna-se imprevisível o que as urnas irão apontar como seu sucessor. A única coisa previsível no pós-Flávio Dino é a necessidade de um governo fortalecido politicamente, como fez o ex-juiz federal.

Vários pré-candidatos que se propõem a disputar o Palácio dos Leões em 2022 de dentro e de fora do bloco liderado por Flávio Dino

Ele conseguir unir o Maranhão, mesmo sendo filiado e eleito por um partido comunista. Não foi fácil para o primeiro governador “comunista” no Brasil, um país tão conservador e politicamente atrasado que muitos ainda acham que o Maranhão virou uma espécie de república soviética em pleno século 21 – fora do tempo e do espaço geográfico.

O mais curioso de Flávio Dino é que ele jamais fugiu um milímetro de sua postura esquerdista, de suas ideias progressistas, das políticas sociais e do enfrentamento tanto ao presidente Michel Temer, que deu golpe em 2016, quanto ao atual Jair Bolsonaro, um extremista da direita convicto.

Dino provou que um estado pobre como o Maranhão não deve temer confrontaro presidente da República, seja qual for a ideologia. Não sem motivo ele cresceu em âmbito nacional, tem na gestão uma das melhores avaliações no Brasil e chega a projetar o nome entre os que se preparam para disputar a Presidência da República.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *