A pandemia das fakes

Por Raimundo Borges
O Imparcial – O mundo que se movimenta no modo virtual foi contaminado por uma pandemia que não tem distanciamento social, nem vacina, muito menos tratamento precoce. Mas ela nos atinge a todos de forma sorrateira, escancaradas, disfarçadas de verdades, ou camufladas como notícias verdadeiras. É a pandemia das fake news. O mundo está exposto às mentiras em todas as dimensões.

As Fakes interferem na economia, na política e na vida privada de qualquer pessoa. Virou uma praga criminosa de difícil punição. Um mal que provoca danos irreparáveis, sofrimentos e rende uma dinheirama às milícias virtuais.

As informações tem aparência de verdadeiras, mas o objetivo é desinformar, distorcer notícias, fraudar verdades, difamar pessoas, desmoralizar instituições, destruir reputações. Tudo ao mesmo tempo. As fakes passaram a ser disparadas, como uma infecção descontrolada.

O ambiente da pandemia do coronavírus, por exemplo, foi contaminado tão fortemente quanto a própria covid19. Enxurradas de desinformações circularam livremente e ainda circulam. Elas atrapalharam políticas verdadeiras de combate, mudaram o rumo de pesquisas e infernizaram ainda mais a vida da população indefesa.

Os meios de comunicação, que ao longo da história humana se tornaram ferramentas para informar a humanidade, ajudar na formação dos povos e contribuir com democratização e as políticas de desenvolvimento estão lutando para não ser enxovalhados.

A imprensa, os Correios, o telégrafos, o rádio, a televisão, marcaram e marcam a história do homem. Agora, com a evolução explosiva da internet, tudo está sendo massacrada pelas fake news nas redes sociais e em outras plataformas insanas. A maravilha das tecnologias digitais presentes na vida de cada ser humano na terra, também se presta a fraudar a verdade.

Quando o ministro do STF, Alexandre de Moraes manda prender um blogueiro bolsonarista e sua extradição dos Estados Unidos, está cumprindo o seu papel na Suprema Corte. Mesmo na América do Norte e com o visto vencido, o blogueiro Alan dos Santos, aliado do presidente Jair Bolsonaro, segue como um dos principais nomes da rede virtual de fake news.

Quando o ministro do STF, Alexandre de Moraes manda prender um blogueiro bolsonarista e determina sua extradição dos Estados Unidos, está cumprindo o seu papel na Suprema Corte.

Ele foi um dos carros-chefes do negacionismo, que até hoje alimenta conteúdos para desmoralizar a democracia e as medidas de prevenção contra a Covid. Ao mandar inclui-lo na lista vermelha da Interpol e bloquear suas contas bancárias, é o mínimo que um ministro da suprema corte poderia fazer. Ele mostra que, para crimes seja virtual ou factual, existem meios de aplicação a lei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *