Pacheco, no PSD, lota a 3ª Via. Com candidatura ou acordo

Tijolaço – Com aquele jeitão de macarrão sem sal e sem molho, Rodrigo Pacheco anunciou, finalmente, a sua filiação ao PSD de Gilberto Kassab, outro político que faz da falta de tempero próprio o caminho – aliás bem sucedido – de tornar-se importante no cenário nacional.

Quinta-feira ele assina a ficha, saindo do ex-Dem, onde será sugerido como candidato a presidente, mais pelos dirigentes do partido do que por si mesmo.

Sua “campanha” será de “postura”, como lhe agrada, de presidente do Senado – papel que, aliás, antes de 64, era exercido pelos vice-presidentes, menos objeto da polêmica que os presidentes.

É ali que, com a escolha de relatores sem relação de submissão ao Planalto e funcionando como “tranqueira” ao trator legislativo (e governista) de Arthur Lira, vai marcar posição e, por isso, receber ataques do governo, o que o ajudará a sair do magro 1% que tem nas pesquisas, mas não o fará ir muito longe, com a postura fleugmática de lorde inglês de Passos de Minas.

Seu perfil, com semelhanças ao de José de Alencar, e o bom entendimento de Kassab com o ex-presidente Lula alimentam as expectativas de que possa haver uma preparação para que ele venha a ser o candidato a vice do ex-presidente.

Muito cedo para acreditar nisso, porque o PSD precisa de um pré-candidato para viabilizar suas pré-candidaturas a governos estaduais e pelo menos duas delas são complicadíssimas: a do ex-governador Geraldo Alckmin, em São Paulo, que deve se filiar ao partido, e a de Ratinho Jr, no Paraná, simplesmente intragável.

Mas uma aliança com as duas estrelas do partido em Minas Gerais, agora Pacheco e o prefeito de BH, Alexandre Kalil, seria forte cacife no segundo maior eleitorado do país, no qual Lula tem poucos nomes para compor chapa e o mesmo vale para todo o leque de candidatos da 3ª via. Bolsonaro depende da aliança eleitoral com o governador Romeu Zema (Novo), seu firme aliado desde 2018.

Pacheco, que fez uma trajetória na direita, talvez aí seja ajudado por aquela sensaboria a que no início apontei: sem sal e sem molho, tanto pode ser servido ao sugo quanto aos quatro queijos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *