PGR pede que Supremo receba denúncia contra o ministro da Casa Civil por propina de empreiteira

Brasil 247 – A Procuradoria-Geral da República (PGR)  rebateu a defesa do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) acate a denúncia feita contra ele em decorrência da acusação de ter recebido R$ 7,3 milhões em propinas da empreiteira Odebrecht.

“A denúncia foi suficientemente guarnecida com dados probatórios por meio dos quais se retratou, com elementos autônomos e/ou próprios, a específica esfera dos delitos de corrupção (ativa e passiva) e de lavagem de capitais centralizados na pessoa do Senador Ciro Nogueira”, diz trecho do documento da PGR, de acordo com o jornal O Globo.

A denúncia contra Ciro Nogueira foi apresentada em 2020, antes dele assumir a chefia da Casa Civil do governo Jair Bolsonaro, e está baseada na delação premiada de executivos da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato. Além dele, o assessor do PP Lourival Ferreira Nery Júnior, apontado como  o responsável pela intermediação da propina, também foi denunciado no mesmo processo.

“Esse sucinto recorte da denúncia retrata suficientemente sua narrativa, aprofundada no decorrer de toda a peça, no sentido de que os acusados praticaram, além de corrupção, condutas com o desígnio autônomo de eliminar rastros do sistema financeiro nacional, consistentes na adesão de todos, à exceção de Lourival Ferreira – abrangidos, portanto, Ciro Nogueira e Cláudio de Melo Filho [executivo da Odebrecht] -, ao esquema de dispersão pessoal e espacial dos atos de recebimento de propinas em espécie”, diz um outro trecho do texto apresentado pela subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *