Carlos Bolsonaro foi o pivô da briga entre Bolsonaro e Valdemar Costa Neto; entenda

Revista Fórum – Na “intensa troca de mensagens” na madrugada deste domingo entre Bolsonaro e Valdemar Costa Neto, ambos teriam partido para a baixaria e xingado um ao outro.

O vereador Carlos Bolsonaro passou a última semana enviando diariamente ao pai, o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), relatórios da repercussão negativa na base em relação ao anúncio de filiação à legenda dirigida por Valdemar Costa Neto, presidente do PL. As informações levaram Bolsonaro a suspender o evento de sua filiação ao PL, que estava marcada para este domingo (14).

Assim que o ato de filiação foi marcado, Carluxo passou a monitorar a reação da base política da família nas redes e repassou a Bolsonaro as críticas devido à condenação de Valdemar Costa Neto no processo do mensalão e sua antiga proximidade com o PT, entre outras críticas.

Após a confusão da última madrugada (leia abaixo), nenhum deles se arrisca agora a garantir que essa filiação de Bolsonaro e seu grupo no PL realmente vá acontecer. Ao mesmo tempo, uma mudança brusca nesse anúncio pode realmente tirar o PL da base de apoio do presidente em breve e rachar a bancada, de acordo com informações da coluna de Juliana Dal Piva no UOL.

Baixaria

Na “intensa troca de mensagens” na madrugada deste domingo (14) entre Bolsonaro e Valdemar Costa Neto, ambos teriam partido para a baixaria e xingado um ao outro, segundo o site O Antagonista.

O PL divulgou nota, pela manhã, informando que a filiação de Bolsonaro ao partido, que estava marcada para o próximo dia 22, foi suspensa após a conversa por aplicativo de mensagens instantâneas.

De acordo com o site O Antagonista, os xingamentos se deram pois Valdemar Costa Neto teria dito a Bolsonaro que “você pode ser presidente da República, mas quem manda no PL sou eu”. Isso porque o presidente desejaria emplacar, como condição de se filiar ao partido, seu filho Eduardo Bolsonaro como chefe do diretório estadual da sigla em São Paulo, que deve apoiar Rodrigo Garcia (PSDB), candidato de João Doria (PSDB), desafeto de Bolsonaro, na corrida pelo governo paulista.

Bolsonaro, então, teria respondido a Costa Neto com um “VTNC”, ao que o cacique do PL teria respondido: “VTNC você e seus filhos”.

Fim do casamento

PL divulgou nota na manhã deste domingo (14) dizendo que a filiação de Jair Bolsonaro ao partido, anunciada para o próximo dia 22, foi cancelada após “intensa troca de mensagens na madrugada”.

O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, comunicou aos liberais que a cerimônia de filiação do presidente Bolsonaro ao PL não será realizada no próximo dia 22, conforme anunciado na última semana”, diz o texto.

Costa Neto, que já foi preso condenado por corrupção, teria passado a madrugada trocando mensagens com Bolsonaro, que está em Dubai.

“No comunicado de 8 linhas, enviada na manhã desde dia 14 de novembro, o liberal esclareceu que a decisão resultou de uma ‘intensa troca de mensagens na madrugada deste domingo, 14, com o presidente Jair Bolsonaro’. Segundo o mesmo comunicado, a decisão foi tomada ‘de comum acordo’ entre Costa Neto e Bolsonaro”, diz a nota.

O comunicado foi divulgado após Bolsonaro tornar público, nos Emirados Árabes, que pode “atrasar um pouco o casamento” com Costa Neto.

O casamento tem que ser perfeito. Se não for 100%, que seja 99%. Se até lá nós afinarmos pode ser, mas eu acho difícil essa data, 22. Tenho conversado com ele [Valdemar], estamos de comum acordo que podemos atrasar um pouco esse casamento, para que ele não comece sendo muito igual aos outros”, afirmou durante visita à Dubai Air Show.

Bolsonaro afirmou que “não vai aceitar em São Paulo o PL apoiar alguém do PSDB“, onde ainda não tem candidato, mas pretende lançar o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

“A gente não vai aceitar em São Paulo o PL apoiar alguém do PSDB. Não tenho candidato em São Paulo ainda, talvez o Tarcísio aceite esse desafio. Seria muito bom para São Paulo e para o Brasil, mas temos muita coisa a afinar ainda”.

O presidente ainda alegou divergências programáticas com Costa Neto.

“Nós queremos um projeto de Brasil, e o discurso não é apenas o meu, é do presidente do partido também. Temos que estar alinhados. Por exemplo, o discurso meu e do Valdemar nas questões das pautas conservadoras, nas questões de interesse nacional, na política de relações exteriores, que está indo muito bem“, disse o presidente.

Segundo ele, a filiação só vale quando estiver assinada. “Enquanto não assinar, não vale. Você já quer saber a data da criança se eu nem casei ainda?“, afirmou

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *