Brasil visto de monóculo

Por Raimundo Borges
O Imparcial – No tour que fez pelo Oriente Médio, presidente Jair Bolsonaro encontrou com quatro ditadores, acompanhados dos filhos Eduardo e Flávio, e da primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Em Dubai, o presidente esteve com o Sheik Mohammed Bin Rashid AlMaktoum, um líder autoritário no país e que encomendou o sequestro de suas duas filhas para ameaçar a mulher após ela ter pedido divórcio. Segundo analistas do cenário internacional, o presidente Brasileiro não colheu grandes negócios, nem atraiu investimentos para o Brasil daquela região movida à dinheirama do petróleo.

Presidente Jair Bolsonaro firma acordos com o Catar nas áreas de economia, defesa e energia
O Presidente Jair Bolsonaro se encontrou com o Emir Tamim bin Hamad Al Thani, governante do Catar, para assinatura de acordos bilaterais nas áreas de investimento, economia, defesa, energia e esportes – Foto: Alan Santos/PR

Em Abu Dhabi, Bolsonaro foi recebido pelo príncipe Mohamed binZayed, também ditador dos Emirados Árabes, que nunca foi eleito e cuja ditadura está em patamar similar a Cuba e Venezuela no ranking da EconomistDemocracy Index.

Mas o filho Zero Três Eduardo, que como o pai, tanto abomina os regimes de Cuba e Venezuela, Bolsonaro e o príncipe pareciam “velhos amigos” no encontro no dia 15. No Bahrein, onde inaugurou a embaixada brasileira, Bolsonaro não poupou elogios ao monarca absolutista Hamadbin Isa Al Khalifa. A família Al Khalifa controla o país há mais de 40 anos de forma ditatorial, determinando quem ocupa o cargo de premier e ministros.

Na sua última parada do tour bolsonarista nas arábias , no Catar, o presidente encontrou o Emir do país, o Sheik TamimbinHamad Al Thani, ditador dono do time de futebol Paris Saint German, e que controla uma nação que desrespeita os direitos humanos e restringe direitos de mulheres e grupos da dversidade sexual. Mas o presidente brasileiro considerou altamente positiva a viagem, que segundo ele, foi custeada pelos ditadores anfitriões.

Ao mesmo tempo em que anunciou possibilidade de investimentos no Brasil e a formalização de acordos bilaterais – sem descrevê-los quais. De qualquer forma, a Amazônia, que Bolsonaro disse estar intacta como era em 1.500, está no centro do mundo climático.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi recebido pelo presidente da França, Emmanuel Macron, nesta 4ª feira (17.nov.2021) no Palácio do Elysée. O petista está realizando uma viagem pela Europa para participar de encontros com líderes políticos da esquerda. 
O ex-presidente Lula e o atual presidente francês Emmanuel Macron; o petista faz tour pela Europa para participar de encontros com líderes políticos.

Enquanto Bolsonaro era bem recebido no mundo árabe, o ex-presidente Lula percorria a Europa, onde discursou no Parlamento Europeu, foi recebido na França como chefe de Estado, e homenageado com o titulo honorário de Paris. Bolsonaro não apenas criticou o petista pela receptividade na Europa, quanto chamou de “maluco” o parlamento Europeu por aplaudir de pé o discurso do ex-presidente petista.

Seja como for, os dois principais adversários da disputa presidencial de 2022, mostraram o Brasil de dois formatos políticos e dois mundos em que a democracia vem se regenerando fortemente na Europa e o absolutismo vive ilhado em meio à globalização planetária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *