Congresso derruba veto e fundo eleitoral pode ter R$ 5,7 bi

Valor exato será definido na votação do Orçamento, na próxima semana. Montante é 170% superior ao da eleição de 2020. Derrubada teve apoio de partidos da base do governo, como o PL de Bolsonaro, e da oposição, como o PT.

O Congresso Nacional derrubou nesta sexta-feira (17/12) o veto do presidente Jair Bolsonaro à destinação de R$ 5,7 bilhões ao fundo eleitoral  que financiará o pleito de 2022. Esses recursos públicos podem ser usado em atividades de campanha como produção de propagandas, contratação de cabos eleitorais e viagens dos candidatos.

O valor de R$ 5,7 bilhões havia sido inserido pelo Congresso em julho na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que define linhas gerais para o Orçamento, e vetado por Bolsonaro em agosto. A decisão desta sexta abre espaço para que o maior valor seja mantido, o que será decidido na próxima segunda, quando o Congresso votará o Orçamento de 2022. Além desse montante, os partidos receberão no ano que vem R$ 1 bilhão pelo fundo partidário.

Se o novo valor for confirmado, ele representará uma alta de 170% comparado ao fundo eleitoral de 2020, o que provocou reações negativas da sociedade e de alguns políticos, que consideraram o montante exorbitante – ainda mais enquanto o país e boa parte da sua população ainda enfrentam os efeitos sociais e econômicos da pandemia de covid-19.

Mais em DW

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *