Bolsonaro barra negociação de Rui Costa com a Argentina para ajuda à Bahia

O governador Rui Costa com a população no sul da Bahia e Jair Bolsonaro brincando em parque em Santa Catarina (Foto: Reprodução Youtube)
Revista Fórum – Bolsonaro, que passeia com uma enorme comitiva de assessores e seguranças nas férias em São Paulo e Santa Catarina, alegou que ficaria “caro” receber 10 voluntários argentinos. Embaixador desmente e diz que auxílio seria a “custo zero” e gasto se restringiria “talvez para alojamento”.

Após o governador Rui Costa anunciar pelo Twitter que “a Bahia aceitará diretamente, sem precisar passar pela diplomacia brasileira, qualquer tipo de ajuda neste momento”, Jair Bolsonaro (PL) afirmou que “não existe” qualquer alternativa de auxílio sem passar pelo governo federal.

A informação teria sido confirmada pelo ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, que ligou para o presidente no meio da live desta quinta-feira (30) para dizer que que conversou com o chanceler da Argentina, Santiago Cafiero, e o diplomata garantiu que qualquer colaboração da Argentina será prestada por meio somente do governo federal.

Bolsonaro, que esteve em um parque de diversões durante suas férias em Santa Catarina nesta quinta, usou como justificativa que ficaria “muito caro” para o Brasil receber a equipe de 10 voluntários do grupo de ajuda humanitária Capacetes Brancos, especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas de desastres”.

“Toda ajuda é bem-vinda, jamais abriremos mão de ajuda, mas que ajuda é essa? A ajuda foi o oferecimento de dez homens conhecidos como Capacetes Brancos. Quais ações eles fariam? Almoxarife, separar material, donativos, ajudar a distribuir água e alimentos. Basicamente isso daí. Ter um local específico para colocar 10 pessoas fica caro para a gente”, disse o presidente, que mobiliza um batalhão de assessores e seguranças durante suas férias em praias de São Paulo e de Santa Catarina.

Ajuda seria a “custo zero”

Em entrevista à BBC Brasil, o embaixador da Argentina em Brasília, Daniel Scioli, afirmou, no entanto, que a ajuda oferecida teria “custo zero” e que o gasto se restringiria “talvez para alojamento”.

“Tenho certeza que quando ele disse ‘muito caro’ se referia a sentimentos porque estaria muito agradecido e valorizando (a oferta de ajuda) e não se referindo de nenhuma maneira a muito caro porque Cascos Blancos assumem todos os gastos e representariam custo zero para o Brasil”, afirmou Scioli, que foi vice-presidente da Argentina durante a gestão do ex-presidente Nestor Kirchner, entre 2003 e 2007, e ex-governandor da província de Buenos Aires.

25 mortos

Segundo dados atualizados pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) nesta quinta-feira (30), o número de vítimas fatais chegou a 25. Além disso, são 37.035 desabrigados, 54.771 desalojados e 517 feridos.

A vítima da vez foi um homem de 45 anos, que se afogou no distrito do Rio do Braço, na zona rural de Ilhéus. As localidades com vítimas fatais são: Amargosa (2), Itaberaba (2), Itamaraju (4), Jucuruçu (3), Macarani (1), Prado (2), Ruy Barbosa (1), Itapetinga (1), Ilhéus (3), Aurelino Leal (1), Itabuna (2), São Félix do Coribe (2) e Ubaitaba (1).

Os números correspondem às ocorrências registradas em 163 municípios afetados. Desse total, 151 estão com decreto de situação de emergência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *