Togados vão à urna

Por Raimundo Borges
O Imparcial – A primeira sessão administrativa de 2022, do Tribunal de Justiça do Maranhão, marcada para o dia 2 de fevereiro, terá como pauta única a eleição de presidente, vice-presidente e corregedor-geral de Justiça.

A corte, composta por 33 membros, dos quais quatro são mulheres – Nelma Sarney, Ângela Salazar, Maria das Graças Duarte e Francisca Galiza –, conta com os candidatos Paulo Velten e Nelma Sarney. Ele é o atual corregedor-geral de Justiça, um dos mais estudiosos do Direito entre seus pares, com doutorado, enquanto Nelma tem larga experiência e vai disputar pela 3ª vez o cargo de presidente.

O atual presidente Lourival Serejo foi eleito no dia 18 de dezembro de 2019, num placar apertado, vencendo Nelma Sarney por 16 votos a 14. Ela é cunhada do ex-presidente José Sarney. Ao tomar posse, em 24 de abril de 2020, Serejo já encontrou o Maranhão sob o impacto da pandemia de covid19, obrigando a solenidade ser online. Marcou assim a história de 209 anos do Tribunal de Justiça.

No discurso, Lourival Serejo destacou a casualidade que a história lhe reservou, ao assumir a Presidência, em pleno estado de calamidade pública. Agora, ele está chegando ao fim do mandato transcorrido todo em meio à anormalidade sanitária na 3ª corte de justiça mais antiga do Brasil.

Foi o período em que o Brasil mudou, o mundo mudou e hoje, com apenas dois anos de pandemia, a videoconferência virou ferramenta presente na vida de todos, desde a escola fundamental às sessões do parlamento e do Supremo tribunal Federal.

Em 2020, o Brasil realizou sua eleição municipal mais esquisita da história, evento marcado por regras jamais vista em pleitos eleitorais, com distanciamento e máscara. O Judiciário, incluindo o TSE, teve que se reinventar para continuar operando a Justiça, com aprendizado tanto para juízes, advogados, membros do MP, assim como os jurisdicionados.

Agora, o TJMA decidiu realizar suas atividades por revezamento de funcionários em decorrência da expansão descontrolada da covid e das variantes Delta e ômicron, misturadas com o surto da gripe influenza H3N2. A sessão do dia 2 (por enquanto) será presencial, mas pode mudar para remota, o que seria outro fato histórico.

Quanto à eleição em si, tudo indica que, a exemplo de 2019, a votação será novamente apertada, já que Nelma Sarney tem seu “reduto” definido, enquanto Paulo Velten, também, os seus admiradores. Significa que os quatro desembargadores que assumiram em 2021 serão o fiel dessa peleja democrática e de voto secreto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *