Após aceno de Lula a Alckmin em entrevista a blogueiros, dólar tem forte queda

Revista Fórum – O posicionamento do ex-presidente, que não vê problemas em montar uma chapa com o ex-tucano, foi bem recebido pelos ativos, pois sinaliza para uma postura mais próxima ao centro.

As declarações do ex-presidente Lula (PT), que não vê problemas em uma chapa com Geraldo Alckmin (Sem partido) às eleições presidenciais de outubro, tiveram repercussões imediatas. O dólar opera com forte queda, nesta quarta-feira (19).

Lula concedeu entrevista coletiva a blogueiros da mídia independente, nesta quarta, em São Paulo.

Eu não terei nenhum problema se tiver que fazer uma chapa com Alckmin para ganhar as eleições e governar esse país. Nós vamos construir um programa de interessa da sociedade brasileira. Todo mundo sabe o que eu quero para esse país, não abro mão de que a prioridade e o povo brasileiro, o povo trabalhador, a classe média baixa, o que está desempregado, essa gente é que tem que ser a nossa prioridade e eu espero que o Alckmin esteja junto”, disse Lula.

O posicionamento do petista foi bem recebido pelos ativos, pois a opção por Alckmin sinaliza para uma postura mais próxima ao centro de sua futura candidatura presidencial.

Às 16h30, a moeda estadunidense apresentava baixa de 1,69% e era negociada a R$ 5,4659, após operar no patamar de R$ 5,52 por volta de 11h15.

“O mercado tinha precificado um cenário mais caótico lá atrás, quando se falava da eleição de Lula. O posicionamento do Lula, em suas falas, vinha sendo mais extremo. Quando ele sinaliza para uma possível aliança com Alckmin, isso gera uma expectativa de não ser dessa forma e isso traz mais confiança para o investidor estrangeiro”, destacou um profissional de mercado, que não quis se identificar, entrevistado pelo Globo.

“Ano de eleição é sempre muito volátil. Assim como uma fala do Lula ajudou a animar o mercado, uma outra fala pode desanimar e isso vale para o Bolsonaro. Quanto mais próximo do período eleitoral nós tivermos, a tendência é que o mercado fique mais agitado”, acrescentou o especialista.

“Sou candidato para ganhar”, disse Lula

Lula lembrou que, por enquanto, nem ele e nem o ex-governador têm falado sobe o assunto. “Você vê todo mundo falar todo santo dia, todo mundo dá palpite. O Alckmin saiu do PSDB e não se definiu para que partido ele vai. E eu não defini a minha candidatura. Então, não pode ter nem candidato, nem vice”, afirmou, tentando disfarçar.

O ex-presidente disse ainda: “Eu não sou candidato para ser protagonista, eu sou candidato para ganhar as eleições, em um momento em que o Brasil está infinitamente pior do que estava em 2003, quando eu tomei posse”.

“Espero que as forças políticas que querem o Alckmin de meu vice estejam ouvindo isso: ele tem que ser igual ou melhor que o José Alencar para me ajudar a governar o país”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *