MDB pode desistir de candidatura de Tebet para apoiar Lula no primeiro turno

Lula com Renan Calheiros e Renan Filho. Créditos: Ricardo Stuckert

Revista Fórum – Anfitrião do jantar de senadores com Lula, Eunício Oliveira diz que tendência é não reeditar “suicídio político” do MDB em 2018, quando lançou Henrique Meirelles candidato ao Planalto.

Em meio às tratativas com União Brasil e PSDB para formar uma chapa única – que deve ter João Doria ou Eduardo Leite como candidato ao Planalto -, uma ala do MDB comandada pelo senador Renan Calheiros (AL) trabalha para que a sigla desista de ter Simone Tebet (MS) como presidenciável para apoiar Lula (PT) já no primeiro turno.

“Se você somar quem tem 1% com quem tem 2%, não vai alterar a fotografia das pesquisas. É somar nada com pouca coisa”, disse Renan após jantar de lideranças do partido com Lula em Brasília sobre a tentativa de fusão do centro.

“Nós temos o maior respeito por ela, mas se não houver mudança na fotografia das pesquisas acho que ela própria vai tomar a iniciativa de levar ao partido para não ter candidato”, emendou sobre Tebet.

Anfitrião do jantar, Eunício Oliveira (CE) lembrou o “suicídio político” de 2018, quando a sigla lançou Henrique Meirelles, que terminou em sétimo lugar na disputa à Presidência, com 1,2% dos votos.

“Há uma tendência natural de não irmos novamente para um suicídio político. Nós fomos de (Henrique) Meirelles em 2018 quando nós sabíamos que ele não tinha a menor condição eleitoral”, afirmou.

Segundo ele, 14 dos 27 diretórios regionais da sigla são contrários à candidatura própria. “Se não for uma candidatura viável, não tenho dúvidas que os diretórios vão derrubar na convenção”.

O apoio a Lula é defendido dentro do partido principalmente por quadros do Nordeste, onde o petista lidera com folga as pesquisas de intenção de votos. Além de Renan, outros quatro senadores do partido estiveram presentes no jantar com Lula, entre eles Marcelo Castro (MDB-PI) e Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB).

Outros nomes de peso do MDB, como Garibaldi Alves Filhos e Renan Filho, ex-governador de Alagoas, também participaram do encontro.

Mais cedo, Lula se encontrou com o ex-presidente José Sarney, que também mantém grande influência dentro do MDB.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *