Mendonça usa Bíblia para justificar voto por prisão de Silveira e apanha ainda mais

Revista Fórum – Alçado ao STF por Bolsonaro, André Mendonça disse que precisou separar “o joio do trigo”. “Sua justificativa só piora seu voto”, disse um seguidor. “Terrivelmente decepcionante”, emendou outra.

Alvo de apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) desde a noite desta quarta-feira (20), quando votou pela condenação à prisão de Daniel Silveira (PTB-RJ), o ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), usou uma parábola bíblica para justificar sua posição na manhã desta quinta-feira (21) e incendiou ainda mais os críticos no Twitter.

Em dois tuites, o ministro do STF, alçado ao posto por Bolsonaro por ser “terrivelmente evangélico”, diz que “como cristão” não pode “endossar comportamentos que incitam atos de violência” e citou a parábola contada por Jesus Cristo segundo o evangelho de Mateus (13: 24-30) sobre “separar o joio do trigo”.

“Como jurista, a avalizar graves ameaças físicas contra quem quer que seja. Há formas e formas de se fazerem as coisas. E é preciso se separar o joio do trigo, sob pena de o trigo pagar pelo joio. Mesmo podendo não ser compreendido, tenho convicção de que fiz o correto”, tuitou em seguida.

A justificativa incitou ainda mais a revolta entre bolsonaristas, que esperavam que o ministro pediria vista para adiar a decisão da corte sobre a condenação a prisão por 8 anos e 9 meses que deve resultar na cassação e perda de direitos políticos de Silveira.

“Desculpe-me mas sua justificativa só piora seu voto, o senhor corroborou com um absurdo, sinto dizer, mas ontem sua postura foi decepcionante”, comentou seguidor.

“O terrivelmente decepcionante”, emendou outra seguidora.

Veja mais repercussões

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *