Modalmais/Futura: Lula amplia vantagem sobre Bolsonaro e lidera em todos os cenários

Correio Braziliense – A saída do ex-juiz Sergio Moro (União) da corrida presidencial e a chegada do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alkcmin (PSB) como vice na chapa ajudaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a ampliar a vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL), cuja rejeição aumentou entre março e abril, de acordo com nova edição da Pesquisa Modalmais/Futura, divulgada na manhã desta quinta-feira (28/4). 

Em um eventual segundo turno, o petista continua vencendo os demais pré-candidatos em todos os cenários, mas ampliou a vantagem sobre o chefe do Executivo, de 7 pontos percentuais para 10,5 pontos.

Com isso, se o segundo turno fosse hoje, Lula venceria Bolsonaro com 50,2% das intenções de voto. Bolsonaro teria 39,7% da preferência. Em março, esse placar era de 48,6% a 41,6%.

Rejeição 

Conforme o levantamento, a rejeição ao presidente Bolsonaro aumentou entre março e abril, passando de 45,6% para 47,2%, na pesquisa estimulada múltipla. 

Já a rejeição a Lula encolheu de 41,1% para 37,4%. Em terceiro lugar, João Doria, teve rejeição de 27,5%, acima dos 23,7% contabilizados em março. 

Ciro Gomes, com 19,2% dos entrevistados afirmando que não votariam nele, teve desempenho estável em relação aos 19,1% da pesquisa anterior.

Simone Tebet, por sua vez, apresentou queda na rejeição, que passou de 14%, em março, para 11,9%, em abril.

Prioridades

Combater a fome e melhorar a saúde pública são as principais prioridades do presidente da República apontadas pelos entrevistados pela pesquisa, com 20,9 % e 18,6% das respostas, respectivamente.

Em terceiro lugar, com 17,9% da preferência, ficou melhorar a educação pública. E, na sequência, o combate ao desemprego, com 14,9%.

Intenções espontâneas

Nas intenções de voto espontâneas para o primeiro turno, Lula ultrapassou Bolsonaro em relação à pesquisa anterior, passando de 32,9% para 36,3%. Enquanto isso, a preferência pelo atual presidente passou de 33,4% para 33,1%.

Nesse cenário sem Moro, o percentual de indecisos e que o dos que pretendem votar branco e/ou nulo aumentou, passando de 4,2% para 18,3% e de 5,2% para 7%, respectivamente.

Na pesquisa com intenção de voto estimulada, tanto Lula quanto Bolsonaro tiveram queda na preferência. O percentual de pessoas que preferem votar no petista passou de 38,5%, em março, para 36,3%, em abril. Já a fatia optando pelo atual presidente passou de 35,5% para 33,1% no mesmo período.

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi realizada pela Futura Inteligência para o Banco Modal contemplou 2.000 entrevistas, com margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos e confiabilidade de 95%.

As entrevistas foram realizadas nos dias 20 a 25 de abril de 2022, por meio de técnica de abordagem CATI (entrevista telefônica assistida por computador), respeitando os critérios de aleatoriedade e das proporções populacionais, de sexo, idade e estado de moradia, tendo como unidade respondente eleitores do Brasil. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *