O certo seria tirar Bolsonaro e me colocar, diz Lula sobre ONU

Lula voltou a comentar a decisão do comitê de Direitos Humanos da ONU

Poder 360 – Depois de decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU, petista diz que União deveria colocá-lo na presidência. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que, para cumprir a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas), a União deveria revogar o mandato do presidente Jair Bolsonaro (PL) e colocá-lo no lugar para reparar seus direitos políticos violados em 2018. Segundo a decisão, o ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) foi parcial no julgamento dos processos da Lava Jato e violou os direitos políticos do petista.

“Agora a União tem até 180 dias para dizer como ela vai repor os prejuízos que eu tive. O correto seria revogar o mandato do Bolsonaro e me colocar na presidência, mas como já está no fim eu também não quero. Então que deixe as eleições serem democráticas porque nós vamos ganhar e vamos governar esse país”, disse o ex-presidente em entrevista à rádio Jornal de Pernambuco.

Em decisão divulgada nesta 5ª feira (28.abr.2022), a ONU determinou que o governo brasileiro preste informações sobre as medidas que serão adotadas para efetivar as decisões do comitê em até 180 dias e também traduza, publique e divulgue amplamente a decisão do julgamento.

O Comitê da ONU emitiu sua decisão depois de considerar uma queixa apresentada pela defesa de Lula em 2016. O órgão considerou que o julgamento de Lula violou os artigos 9, 14, 17 e 25 do pacto internacional, que tratam sobre o direito de todo e qualquer cidadão a um julgamento justo e imparcial, o direito à privacidade e o respeito aos direitos políticos.

Lula afirmou que a decisão mostrou a “falácia” que foi o processo contra ele e disse que o Comitê “deu um chute” e mostrou o que foi feito para tirá-lo da corrida eleitoral em 2018. O ex-presidente foi questionado sobre o perdão aos delatores da Lava Jato, citado o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci e disse que quem deve desculpas a ele é quem o “acusou falsamente” e mentiu ao seu respeito.

O ex-juiz Sergio Moro manifestou-se por nota e afirmou que as conclusões do comitê da ONU foram extraídas da decisão do Supremo Tribunal Federal do ano passado, da 2ª turma da Corte, que anulou as condenações do ex-presidente Lula.

“Considero a decisão do STF um grande erro judiciário e que infelizmente influenciou indevidamente o Comitê da ONU”, declarou o ex-juiz.

Ele disse que sua decisão foi referendada por 3 instâncias do Judiciário e passou pelo crivo de 9 juízes e defendeu sua atuação, afirmando que “foi legítima na aplicação da lei, no combate à corrupção e que não houve qualquer tipo de perseguição política”.

CRÍTICAS A BOLSONARO

Durante a entrevista, o petista voltou a fazer críticas a Bolsonaro e disse que o presidente “briga com todo mundo”. Lula afirmou que é necessário um diálogo com governadores e prefeitos para “reestruturar” a economia brasileira.

“É preciso ter um presidente que tenha capacidade de conversar, que não brigue com ninguém. Esse nosso sujeito que governa o Brasil, ele briga com todo mundo. Por que ele nasceu para isso. Ele entrou no exército para fazer greve. Por isso que ele foi expulso do exército, e agora ele governa esse país agindo como se fosse um irresponsável”, disse.

Um comentário em “O certo seria tirar Bolsonaro e me colocar, diz Lula sobre ONU

  • 30 de abril de 2022 em 12:17
    Permalink

    Concordo, precisamos de um presidente que saiba dialogar com todos, livre de preconceito e menos ignorante! Que seja exemplo de ser humano para a humanidade, que deseje e trabalhe em prol da justiça social, ajudando à todos na construção de um país e mundo melhor para todos!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *