Denzel Washington revela novo fato sobre o tapa de Will Smith

DENZEL WASHINGTON

Ateleia – A noite de Oscar fez as pessoas falarem sobre o diabo. A chave foi o conselho de Denzel Washington a Will Smith. Mas ambos fizeram outra coisa, que muitos ignoraram

Não foi apenas Denzel Washington que veio em auxílio de Will Smith na polêmica noite do Oscar. Também o fez o ator Tyler Perry. Ambos foram imediatamente até Smith, estenderam-lhe a mão e tentaram ajudá-lo a desanuviar a sua explosão de raiva.

Denzel Washington explicou que a primeira coisa que ele disse a Will Smith – que iria receber o Oscar de melhor ator por “King Richard: Criando Campeãs” pouco depois – foi uma ideia para o fazer reagir e perceber que o tapa que acabara de dar a Chris Rock no meio da cerimónia ao vivo era uma coisa má a fazer.

Disse-lhe: “Tome cuidado! Em seus melhores momentos é quando o diabo vem atrás de você”.

É um conselho que vem realmente do santo Cura d’Ars, um homem da França do século XVIII/XIX que tinha tido muita experiência de como o diabo funciona nas pessoas. Ele tinha-o sofrido na sua própria carne.

WEB3-DENZEL-WASHINGTON-WILL-SMITH-CHRIS-ROCK-OSCARS-Afp_.jpg
Imagens do dia da polêmica

Fala-se agora da expulsão de Will Smith da Academia, da sua viagem à Índia como uma “purificação”, de Jada Pinket e do problema da alopecia, dos vícios do passado…

Mas a lição de humanidade de Denzel Washington não fica por aí. Ele vai um passo mais além. Explicou-o ao Deadline, um jornal de Hollywood. Ele disse que eles rezaram naquela noite. E acrescentou que Tyler Perry também ajudou: “Felizmente havia lá pessoas, não só eu mas outros. Tyler Perry veio imediatamente comigo”, explicou ele.

Quando lhes perguntaram o que fizeram especificamente com Will Smith, o ator respondeu: “Algumas orações. Não quero dizer aquilo de que falámos. Mas qualquer um de nós pode estar nessa situação, exceto pela graça de Deus”.

Washington canalizou o momento de crise da forma mais sábia, nomeadamente voltando-se para Deus quando se sabe humanamente que já não se pode fazer mais. Para resolver a explosão de raiva de Will Smith, que tinha sido vencida pela tentação do ódio e da violência, ele só podia recorrer a Deus para restaurar a paz. Washington fê-lo não com superioridade mas com o seu parceiro: “Quem somos nós para condenar”, disse ele.

“A única solução era a oração.”

Ele acrescentou: “Não conheço todos os meandros desta situação, mas sei que a única solução era a oração. A forma como eu o vi. Do meu ponto de vista”.

A oração afasta-nos de julgar os outros e coloca-nos ao lado deles no caminho da misericórdia e do amor de Deus.

No meio de toda a emoção que ferveu naquela noite na cerimónia do Oscar, Denzel Washington e Tyler Perry rezaram com Will Smith.

É preciso dizer que tal comportamento não é improvisado. Tyler Perry é cristão, e mesmo muitos dos seus personagens são abertamente cristãos, e ele não tem medo de o dizer publicamente na sua carreira profissional.

Quando se pensa de uma forma, é o que surge em momentos de urgência, quando parece que nem sequer se teve tempo de raciocinar. Ele e Denzel Washington rezaram com Will Smith.

82nd Annual Academy Awards
Tyler Perry em Hollywood

Agora que já passou algum tempo desde o tapa, o primeiro conselho para o futuro é estar atento aos esquemas do diabo. O segundo: assim que virmos o diabo a rondar, rezemos. A oração afasta o maligno, porque ele nunca nos poderá derrotar se estivermos unidos a Deus. A oração é mais poderosa.

De Hollywood e de uma triste polêmica vem uma lição sobre a importância da oração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *