17 de julho de 2024
DestaquesGeralPolítica

Dias nublados na política brasileira

Por Raimundo Borges

O Imparcial – Sem uma ocupação definida como presidente de honra do PL, onde embolsa um belo salário de R$ 41,6 mil, idêntico ao da esposa Michelle, com R$ 41.650,91 na presidência do PL Mulher, Jair Bolsonaro passou a ser pau mandado de si próprio e do partido em que atua como garoto-propaganda das ambições eleitorais em 2024 e 2026.

Como líder máximo da extrema direita brasileira, o ex-capitão deve fazer dessa temporada, o palanque para se vitimizar de supostas perseguição do STF, atacar o governo Lula e projetar os candidatos do PL, ironicamente, partido que pôs José Alencar como vice de Lula entre 2003/2010.  

Na reunião de domingo, 21, na Praia de Copacabana (RJ), Bolsonaro só atraiu 30 mil pessoas, mas o suficiente para ele fazer outras do tipo pelo país afora, negar o golpe frustrado de 08/01 de 2023, defender os golpistas e intimidar o STF, principalmente, o ministro Alexandre de Moraes, a quem acusa de persegui-lo no que chama de “ditadura do STF” e firmar sua posição de líder da extrema direita perante à legião de fanáticos que o segue e o endeusa.

No Sábado, Michelle Bolsonaro esteve no encontro do PL Mulher em São Luís, quando acusou o governo Lula de “assassinato contra a sua reputação” na polêmica do ‘sumiço’ de móveis do Alvorada, que depois apareceram.

Assim, com a postura de quem está em plena campanha eleitoral, o ex-presidente e sua esposa permanecem criando fatos, enquanto o Centrão se encarrega de emparedar o governo Lula no Congresso, com suas pautas-bomba.

Mesmo com a economia avançando, o PIB crescendo e a pobreza em queda, o Congresso se supera com uma agenda carregada de ódio em que se misturam o fundamentalismo evangélico de Silas Malafaia com posições bizarras tipo a de um Nicolas Ferreira. “O país não precisa de mais projetos de lei, mas de homens com testosterona”. Pior foram os aplausos à frase, de senhoras deputadas da mais “autêntica família tradicional brasileira”.

Os comícios de Bolsonaro, Michelle, Malafaia e outros aproveitadores da ignorância política e dela ganhar dinheiro, infelizmente, representam o mundo atual, das fake news, em que até um multibilionário estrangeiro ousa interferir em assuntos internos consagrados na Constituição Brasileira.

Elon Musk virou guarda-costas de Bolsonaro nos ataques à democracia e ao sistema eleitoral, frutos da luta de muitos contra embusteiros do tipo. Mas Musk já foi enquadrado por Moares: “A justiça eleitoral está acostumada a combater ‘mercantilistas estrangeiros’ que tratam o Brasil como colônia. Portanto, continuaremos defendendo a vontade do eleitor, da manipulação do poder das redes”.

Não por acaso, o governo inicia a semana acuado pelo Congresso com suas pautas-bomba, o que obriga Lula a se encontrar com Arthur Lira (PP-AL), Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e suas lideranças. Vai agir em várias frentes para conter os impactos das propostas legislativas sobre as contas do Executivo.

Os projetos em tramitação no Legislativo vão gerar despesas adicionais de R$ 70 bilhões ao Tesouro este ano. A maior parte sairá de uma PEC de Pacheco, que concede aos membros do Judiciário, MP e outros órgãos da área jurídica (hoje os maiores salários do país), mais um penduricalho de 5% a cada quinquênio trabalhado, ao preço de R$ 42 bilhões na nossa conta de contribuinte.

PÍLULAS POLÍTICAS

Rumo aos 100 (1)

O ex-presidente José Sarney, político mais ilustrado da história do Maranhão, comemora, nesta 4ª feira, 24, com simplicidade diaconata, os 94 anos de vida jubilosa. Como é tradição, ele não distribui convites de aniversário, sabedor de quem não o deixará só na data.

Rumo aos 100 (2)

Afinal, mesmo ainda se recuperando do trauma de uma queda que levou em casa, José Sarney jamais deixa de ser o que conquistou ao longo de quase um século. A simplicidade, a simpatia, a serenidade e a educação são bens que ele cultiva como quem cuida de um jardim.

Campeão nas prefeituras

Nem PT de quatro mandatos no Planalto, nem MDB, nem PL bolsonarista. O partido com mais prefeitos no Brasil, 1040, é o PSD de Gilberto Kassab, do prefeito Eduardo Braide e da senadora Eliziane Gamam – quando faltam pouco mais de cinco meses para as eleições municipais.

Corrida à Câmara

Há forte rumor de que o motivo de a suplente de deputada federal, advogada Flávia Alves ter trocado o PCdoB pelo SD não tem relação com a disputa da prefeitura de São Luís, mas sim um mandato na Câmara Municipal de São Luís.

Nova multa

A 1ª Turma do STF, acompanhou o relator do processo Flávio Dino e manteve a condenação do ex-presidente Jair Bolsonaro ao pagamento multa de R$ 70 mil por impulsionar conteúdos ilegais durante a campanha de 2022. A liminar dele foi negada dele.

“Rua cheia não esvazia inquéritos contra Bolsonaro”
Do jornalista Josias de Sousa, no Uol, sobre os comícios de Bolsonaro para desafiar o STF, onde arrasta um monte de processos ainda por julgar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *