19 de julho de 2024
DestaquesGeralPolítica

Eleição em São Luís já desenha a trajetória da corrida de 2026

Por Raimundo Borges

O Imparcial – O jogo político-eleitoral de agora já transforma as eleições municipais de outubro próximo numa espécie de eliminatórias das gerais de 2026, que vão eleger deputados, senadores, governadores e o presidente da República.

No Maranhão, a sucessão do governador Carlos Brandão e as duas vagas de senador entraram tinindo nessa refrega ainda meio desengonçada, mas com alguns personagens querendo ocupar o lugar de protagonista no amplo espaço deixado pelo ex-governador Flávio Dino, hoje ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e impedido, legalmente, de subir em palanque eleitoral.

Além de o PSB do governador Carlos Brandão acabar de perder a senadora Ana Paula Lobato para  o PDT do senador Weverton Rocha, as fissuras entre Brandão e Flávio Dino, que eram só aparentes, já estão virando quase voçorocas do tipo das que estão engolindo a cidade de Buriticupu.

Ana Paula, que era suplente de Dino, é esposa do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), que foi secretário do governo Brandão em Brasília e agora virou seu opositor de tempo integral dentro e fora da Assembleia Legislativa. Como tal, ele se aproxima do Weverton Rocha e tentar ampliar o espaço a partir de São Luís, onde sua irmã Flávio Alves deixou a superintendência do Ibama para assumir o comando do Solidariedade.

Ela está se projetando como pré-candidata à prefeitura de São Luís. Porém, o alvo principal da empreitada pode ser a eleição de deputada federal, por onde iniciou na política em 2022 e ficou como suplente. Com essa novata na disputa da capital, o jogo pela sucessão do prefeito Eduardo Braide (PSD) ganha uma sacudida.

Começa pela sua reeleição e passa pelo deputado federal Duarte Júnior (PSB) e os estaduais Welington do Curso (PL) e Yglésio Moses. Este escancarou a postura bolsonarista, mas chegou atrasado no jogo para se filiar e tornar-se candidato a prefeito da capital.

Como a política tem sua própria dinâmica no jogo de perde e ganha, até as articulações com o PL para apoiar Duarte Júnior já não são as mesmas de duas semanas atrás.

Embora não tenha um nome de potencial para mexer com a polarização entre Eduardo Braide e Duarte Júnior, no entanto vai ser muito difícil os bolsonaristas se encorajarem subir no palanque de um socialista que marca posição firme na Câmara contra a extrema direita, além de sua relação estreita com o ministro do STF, Flávio Dino. Como o deputado Josimar do Maranhãozinho e sua esposa Detinha nunca assumiram o bolsonarismo-raiz, não será fácil para Yglésio sê-lo. Eles comandam o PL no Maranhão, mas sem adotar posturas extremistas. 

Diante desse cenário embolada, o prefeito Eduardo Braide continua favorito à novo mandato, mesmo perante Duarte Júnior apoiado pelo governador Carlos Brandão. Na hipótese de vir a se reeleger com folga eleitoral, Braide pode sim se encorajar a concorrer ao governo em 2026 contra o vice-governador Felipe Camarão ou a deputada estadual Iracema Vale, o nome político mais próximo hoje de Brandão.

De fato, o desenho da eleição de 2026 já aponta para uma corrida ao Palácio dos Leões cheias de intrigas, emoções e adrenalina. Brandão para ao Senado, contra Weverton Rocha, Eliziane Gama, Maranhãozinho e quem mais se encorajar.

PÍLULAS POLÍTICAS

Sarney

O aniversário de 94 anos do ex-presidente José Sarney levou uma legião de admiradores e seguidores políticos que nunca o abandonam. Um desembargador do TJMA disse que embarcou para Brasília num voo lotado de sarneístas.

Moleza

Os deputados federais pressionam o presidente da Câmara Arthur Lira por uma semana inteira de feriadão, aproveitando o dia 1º de maio, ironicamente, consagrado ao trabalho. Lira que não é tolo, pediu aos líderes que mandem ofício pedindo a folga prolongada.

Pedras no caminho

Caso seja verdade que o governador Carlos Brandão realmente deseja colocar a deputada Iracema Vela na disputa de sua sucessão em 2026, o caminho mais seguro para isso seria ele permanecer no governo até o último dia e abdicar da corrida ao Senado.

Em alta

Dois candidatos maranhenses, pela primeira vez, concorrem a duas vagas de ministros do STJ: o desembargador Ney Bello e a promotora de Justiça, Ana Luiza Almeida Ferr, escritora famosa com 20 livros, sendo o mais premiado “Crime Organizado e Organizações Criminosas Mundiais”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *