18 de julho de 2024
DestaquesGeralPolítica

Enredo de suspense do oito de janeiro de 2023

Por Raimundo Borges 

O Imparcial – Cada vez que militares de alta patente ou membros da cúpula do governo Bolsonaro resolvem abrir a boca para falar da tentativa de golpe de estado em 08 de janeiro de 2023, pode esperar que revelações bombásticas vêm à tona.

Quem começou abrir a Caixa de Pandora das trapaças de Bolsonaro e seu entorno foi o seu ex-ajudante de ordens tenente coronel Mauro Cid em delação premiada à Polícia Federal. Ele reafirmou o conteúdo dos vídeos da reunião ministerial de 5 de julho de 2022, quando foram debatidas medidas para subverter a ordem democrática e impedir que o “Brasil virasse uma guerrilha”, caso Lula fosse eleito.

O que pode ter salvado a democracia brasileira – até provar em contrário – foi o Exército que traçou uma linha oposta ao não embarcar no plano de “virada de mesa” antes das eleições, defendido pelo general Augusto Heleno, chefe do GSI. Os três comandantes das Forças Armadas foram consultados sobre o golpe, segundo Mauro Cid.

Já o general Freire Gomes, que comandou o Exército em 2022, se opôs. Ao depor na PF, após a operação “Tempus Veritatis”, ele respondeu todas as perguntas e deixou evidências da participação do então presidente da República, de ex-ministros e oficiais das Forças Armadas na tentativa de golpe de Estado antes, durante e depois da posse de Lula no Planalto.

O ex-comandante da Aeronáutica, Carlos Baptista Júnior, também depôs no mesmo dia de Freire Gomes e confirmou sua presença em duas reuniões nas quais foi discutida a minuta golpista, encontrada na biblioteca do ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, Anderson Torres.

Por outro lado, diálogos captados pela PF e expostos no relatório que embasou a operação “Tempus Veritatis”, mostram alvos como Mauro Cid e o candidato a vice de Bolsonaro, general Braga Netto. Este, ataca Freire Gomes e Baptista Júnior por discordarem das iniciativas golpistas amplamente discutidas ao redor do ex-capitão.

Ao depor no dia 1º de março, o ex-comandante do Exército, Freire Gomes contou que se opôs ao plano golpista para manter Jair Bolsonaro no poder. Como o depoimento está sob sigilo, os detalhes das revelações só virão à tona se o ministro Alexandre de Moares (STF)liberar.

Portanto, com tantas evidências, o golpe frustrado deixa de ser especulações ou fake news, como insistem o ex-presidente e seus seguidores. Para eles, essa história toda não passa de perseguição da esquerda contra os “patriotas” da extrema direita. Logo, há de concluir-se que Freire Gomes, ao se insurgir contra o golpe de estado, salvou a democracia.

Vale ainda relembrar que a PF encontrou, no gabinete de Bolsonaro, na sede do PL, outro documento de conteúdo golpista, que previa a decretação de estado de sítio e a imposição da garantia da lei e da ordem (GLO) no país. Mesmo assim, a defesa do ex-presidente que ficou calado na PF, garante, convicta, que ele jamais pensou em dar um golpe de estado, tampouco compactua com tais ideias.

Mas a história do 8 de abril está apenas no começo. Trata-se de um enredo recheado de suspense, intrigas, prisões, ação e emoção do começo ao fim. Ao se defender na Paulista no dia 25 e pedir anistia para os golpistas, Bolsonaro deixa no ar uma clara confissão de culpa.

PÍLULAS POLÍTICAS 

Ruídos na base (1)

Desde quando assumiu a titularidade do governo em abril de 2022, Carlos Brandão ainda não havia sentido tanto ruido em sua ampla base de apoio na Assembleia Legislativa. Como não tem oposição, qualquer barulhinho dentro do blocão, soa-lhe forte nos tímpanos.

Ruídos na base (2)

Bastou o deputado Carlos Lula (PSB) se lançar candidato à vaga de conselheiro no TCE-MA, para ser visto como um “dinista” contra Brandão, que tenta emplacar o seu advogado Flávio Costa no empregão vitalício na corte de contas do Estado.  

Salto no escuro

Ao se lançar na aventura de disputar a prefeitura de São Luís pelo PDT, o ex-vereador do MDB Fábio Câmara pode estar embarcando na ilusão de que o partido que elegeu Jackson Lago três vezes na prefeitura e uma no governo estadual ainda tem a força política do passado.

Buscando apoio

O presidente da Federação do Comércio do Maranhão Mauricio Feijó desembarcou ontem em Brasília, com uma agenda institucional recheada de demandas para discuti-las com deputados e senadores, todas na ótica do desenvolvimento do comércio do Estado.

Jogo paralisado

Ao pedir manifestação da Alema, Procuradoria Geral do Estado e da AGU sobre as regras de escolha dos conselheiros do TCE, o ministro Flávio Dino pode adiarainda por alguns meses, a definição sobre quem vai ocupar a vaga de Washington Oliveira na corte de contas.

É melhor e mais valioso do que uma delação premiada
De um ministro do STF ao jornalista Josias de Souza (Uol), falando do depoimento do ex-comandante do Exército no governo Bolsonaro, general Freire Gomes à Polícia Federal.

One thought on “Enredo de suspense do oito de janeiro de 2023

  • Tatiane silva de Medeiros

    Já está passando da hora desse clã ficar atrás das grades! Quem é a favor da democracia tem que se manifestar na exigências providências imediata, precisamos exterminar qqr chance disso voltar a acontecer. Combate a extrema direita meu povo!!!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *