17 de julho de 2024
DestaquesGeralPolítica

Bolsonarista Silvia Waiãpi é cassada por usar dinheiro de campanha para fazer harmonização facial

Revista Fórum – TRE do Amapá cassou a deputada indígena e militar, acusada de gasto ilícito em sua campanha eleitoral de 2022, por unanimidade.

A deputada federal bolsonarista Silvia Waiãpi (PL-AP) foi cassada por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) por gasto ilícito em sua campanha de 2022. Segundo a Corte, a parlamentar, que se orgulha de ter sido a ” primeira mulher indígena Oficial das Forças Armadas a ingressar no Exército Brasileiro”, teria utilizado recursos da campanha para pagar um procedimento de harmonização facial

Os desembargadores do TRE rejeitaram a prestação de contas de Silvia Waiãpi, que teria usado R$ 9 mil dos recursos destinados à campanha para pagar para pagar o procedimento estético em um consultório odontológico em Macapá. Quem fez a denúncia sobre a irregularidade ao Ministério Público Eleitoral (MPE) foi Maete Mastop, coordenadora de campanha da deputada bolsonarista. 

De acordo com o MP Eleitoral, Silvia fez o procedimento estético no dia 29 de agosto de 2022, mesmo dia em que recebeu recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). O dinheiro de campanha, então, teria sido transferido para a conta pessoal de sua coordenadora, que realizou o pagamento à clínica supostamente por ordem de Silvia Waiãpi. 

Apesar da decisão do TRE, a deputada manterá o seu mandato pois ainda cabe recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso a Corte mantenha a decisão do tribunal regional, Silvia Waiãpi será cassada definitivamente. 

O que diz Silvia Waiãpi

Em nota, a assessoria de imprensa de Silvia Waiãpi não negou o procedimento estético e se limitou a dizer que a deputada só soube da decisão pela imprensa, adicionando que seus advogados tomarão “medidas cabíveis”. 

Leia o comunicado: 

“A deputada Silvia Waiãpi soube pela imprensa que seu mandato havia sido ‘cassado’. Porém, as contas já haviam sido julgadas e as mesmas aprovadas pelo mesmo tribunal.

É estranho que a deputada Silvia Waiãpi não tenha sido intimada, tampouco seus respectivos advogados.

Somente após a audiência pública, que ela presidia e que terminou próximo às 19 horas, é que a deputada foi questionada sobre o julgamento.

Agora cumpre aos advogados tomarem ciência do que de fato foi julgado e tomar as medidas cabíveis”. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *