18 de julho de 2024
DestaquesGeralPolítica

Saiba o que Brandão foi fazer no Panamá

Por Raimundo Borges

O Imparcial – A viagem do governador Carlos Brandão ao Panamá, em companhia do presidente da Emap, Gilberto Oliveira Lins Neto, tem enorme repercussão econômica para o Maranhão. Serão firmados acordos de ampliação da parceria envolvendo os dois complexos portuários, do Canal do Panamá, no mar do Caribe, e do Itaqui, no Atlântico Norte, Ilha de São Luís,  que já vêm dando resultados por longos anos.

Ainda na gestão de João Castelo à frente da Empresa Maranhense de Administração Portuária, em 2008, esse acordo passou a vigorar, atravessando ao comando do engenheiro Ted Lago no governo Flávio Dino, e agora sendo renovado com Carlos Brandão e o atual presidente Gilberto Lins. 

Há duas semanas, em 04/07, o presidente Lula e o ministro dos Portos e Aeroportos Sílvio Costa Filho, estiveram no Itaqui, assinando a renovação por 25 anos, da concessão do Porto ao governo do Maranhão e a ordem de serviço para a construção do Berço 98. Tais eventos vão permitir que o Itaqui se torne um porto de referência mundial.

O novo berço ampliará as possibilidades de exportação e importação via Complexo do Itaqui, com mais eficiência, produtividade e segurança jurídica para investidores que atuam na área portuária. Há poucos dias, o Itaqui recebeu a primeira carga, em 40 anos, de 18 mil toneladas de petróleo bruto que foi transferida de navio a navio, marcando um ato histórico pela Transpetro.

Em 2018, o então presidente da Emap Ted Lago e o administrador do Complexo Portuário do Panamá, Jorge L. Quijano, firmaram uma aliança de colaboração com o objetivo de fomentar parcerias no uso do canal por navio com destino ou origem, bem como em áreas técnicas.

A localização do Itaqui é estratégica por sua proximidade com os mercados mundiais,  – é o primeiro porto de entrada e o último de saída para os mercados asiáticos (encurta viagem em sete dias no comparativo com os portos das regiões Sul e Sudeste do Brasil). Tal fato serve de parâmetro sobre o custo operacional dos navios cargueiros.

Com essas vantagens e a aliança de cooperação com a autoridade portuária do Panamá, o Itaqui poderá ter acesso a novos mercados, em especial mercados de commodities da costa oeste da América e Ásia. Existe também um potencial para o Itaqui no futuro se transformar em um hubport de contêineres.

Portanto, a viagem de Carlos Brandão ao Panamá tem tudo a ver com o desenvolvimento do Maranhão, centrado nas facilidades estratégicas do Porto do Itaqui para atrair investimentos agregados ao transporte marítimo. Principalmente, os mercados asiáticos, destino principal da movimentação de 80% das cargas soja, milho e derivados de produtos minerais. 

Em comparação do Itaqui com outros portos brasileiros, a distância em relação à Europa e aos Estados Unidos já é muito menor. A diferença do Paranaguá é de nove dias; para Santos, sete dias; para outros, oito dias. Nessa média, calculando que um navio opera a 50 mil dólares por dia e somando ida e volta, são 800 mil de economia.

Além do mais, o Itaqui tem a posição geográfica privilegiada, graças as condições naturais que nenhum outro porto tem. O canal que dá acesso tem 27 metros de profundidade e 1.800 metros de largura. Trata-se de um porto abrigado com 1.073 hectares de retroárea. Tudo isso significa que o futuro econômico do Maranhão está no agronegócio e na indúastria, com a produção ancorada no Itaqui.

PÍLULAS POLÍTICAS

Catraca livre (1)

O TRE-MA aprovou uma medida inédita no Estado. Junto com as eleições municipais deste ano. Será realizada uma consulta pública durante o primeiro turno, em 6 de outubro, para adoção ou não de passe livre estudantil em São Luís.

Catraca livre (2)

Se aprovado o plebiscito pela maioria dos eleitores, a gratuidade alcançará todos os estudantes matriculados em estabelecimentos das redes públicas e privadas do fundamental ao superior.  Para valer, terá que ser regulamentada pela Câmara de Vereadores.

Convenção marcada

O PSB é o primeiro partido a marcar para 21 de julho, a convenção que oficializará a candidato do deputado federal Duarte Júnior à Prefeitura de São Luís. Como é de praxe, os demais 11 partidos da coligação socialista poderão fazer suas convenções na mesma data.

Brandão coordena

A campanha de Duarte Júnior será coordenada pelo presidente regional do MDB, Marcus Brandão, depois que os deputados Neto Evangelista e Rubens Júnior (PT) não toparam a missão.  O detalhe curioso é que o MDB estaria propenso a apoiar Eduardo Braide.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *