27 de maio de 2024
DestaquesGeral

As mentiras nas redes sobre 31 cidades alagadas no MA

Por Raimundo Borges 

O Imparcial – As fake news na internet agem como uma perigosa epidemia mental, difícil de combater. É como a praga do mosquito Aedes Egypt, transmissor da dengue, febre amarela, zika e chikungunya.

Desde a semana passada, as redes sociais foram abarrotadas de notícias falsas, ilustradas com imagens antigas, falando de 31 municípios do Maranhão e milhares de famílias flageladas por enchentes. São mentiras disseminadas por internautas desocupados, que se satisfazem alardeando pânico na população e confundindo os órgãos públicos – tudo pelo simples prazer de usar as ferramentas virtuais para mentir.

É uma lástima que as fake news estejam presentes na política, na economia, na vida pessoal das pessoas e também nas tragédias. Enquanto o Brasil e o mundo se compadecem do drama dos riograndenses do sul, numa corrente emocionante de solidariedade, vagabundos insensíveis se realizam espalhando mentiras sobre ocorrência de enchentes no Maranhão que, felizmente, não ocorreram em 2024.

O serviço de checagem ‘Verifique’, de O Estadão, investigou as imagens que falam de enchentes no Maranhão e concluiu que são enganosas. Três delas são de março 2023, quando enchentes atingiram o Rio Mearim. Outra imagem é de 2018, igualmente postada no X (antigo Twitter) como sendo atual.
As 31 cidades citadas nas publicações não estão sob perigo algum de rios transbordados. Apenas alguns alagamentos foram registrados em Barreirinhas, mostrados pela TV Mirante, mas a situação já amenizou.

Já as imagens que mostram dezenas de casas submersas, crianças andando pelas ruas alagadas foram publicadas em 2023 pelo G1-MA. Outra que mostra pessoas carregando uma geladeira com água na cintura, é do portal Pindaré, de 2018. Na rede social Threads, circula um post de pessoas em barcos trafegando em zonas urbanas, assim como outra de moradores retirando móveis de dentro de casas. O texto diz que o Maranhão também, a exemplo do Rio Grande do Sul, precisa de ajuda.

Na noite de quinta-feira, 9, o governador Carlos Brandão (PSB), foi às redes sociais, desmentir as fake news. Escreveu que as imagens que mostram cidades tomadas por enchentes são antigas e não refletem a realidade. Segundo ele, atualmente não há cidade coberta por água.

O G1 e o Imirante do mesmo grupo Globo, publicaram que 450 famílias de Barreirinhas (260 km da capital) foram afetadas, mas com a diminuição do nível da águas, muitas delas já havia voltado para casa, na última sexta-feira. Não existe decreto de emergência municipal, nem pedido de ajuda do governo federal. Felizmente.

A mentira nas redes sociais é a mais avassaladora forma de invasão da vida privada das pessoas em diferentes formas. Portanto, virou um campo de estudo da psicologia, psiquiatria, física, sociologia, antropologia, e até matemáticos se debruçam sobre esse tema fascinante.

Eles querem responder a pergunta básica: Qual a função das mentiras na mídia eletrônica e como elas afetam a vida de qualquer ser humano? Na internet cabe tudo: “cura do câncer” sendo escondida por governos e cientistas para ganhar dinheiro; postagens dizendo que a terra é plana, e que sua esfericidade seria um complô da NASA. E no Brasil, 35% ainda acreditam no que Bolsonaro diz, que as eleições de 2022 foram fraudadas para eleger Lula.

PÍLULAS POLÍTICAS

Aliviado

O TCU arquivou o processo contra o ministro das Comunicações, Juscelino Filho, acusado de usar um avião da FAB para participar de leilão de cavalos. A decisão, sem dúvida foi um alívio para o líder da família que domina a política de Vitorino Freire, no interior do Maranhão.

Na licença de Onaiser

A enfermeira Luciana Genésio, imã do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio vai assumir, por 122 dias, na Câmara, durante licença do deputado Márcio Inaiser (PDT). Na semana passada, ele perdeu a mãe dona Euníce Onaiser.

Nem aí para condenação

O deputado federal Josivaldo JP foi condenado pelo TSE, a devolver o montante de R$ 469 mil aos sofres públicos, por uso ilegal de recursos no Fundo Eleitoral em 2022. Mas ele não se abalou na pré-campanha de prefeito em Imperatriz, onde esperar haver segundo turno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *