12 de junho de 2024
DestaquesEconomiaGeral

Confiança do empresário da indústria aumentou em maio no Maranhão

Fiema – Em maio de 2024, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) registrou alta de 3,5 pontos no Maranhão em relação ao mês anterior, levando o indicador a totalizar 56,9 pontos e se posicionando dentro da zona de confiança.

O aumento no volume de produção na indústria e o crescimento do nível de atividade da construção civil contribuíram para o resultado. O ICEI Maranhão também apresentou pontuação superior em comparação aos resultados do Nordeste e do Brasil, que registraram, respectivamente, 56,1 pontos e 52,2 pontos.

A pesquisa é realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) com empresários do setor produtivo industrial de todo o Estado do Maranhão.

No mês de maio, o estudo observou um retorno à zona de confiança do empresariado maranhense relacionado às condições atuais e às empresas, que já vem registrando crescimento de 4,0 pontos há dois meses, e em maio, totalizou 52,6 pontos. Os demais componentes, que fazem referência às condições atuais da economia brasileira (46,9) e do estado (46,2), também apresentaram crescimento, embora estejam fora da linha de confiança.

FUTURO – Em relação às expectativas dos empresários para os próximos seis meses, o ICEI-MA aponta crescimento em todos os componentes, com destaque novamente para ‘empresas’, que registrou 62,9 pontos e variação positiva de 4,8 no mês. Em seguida, aparece o componente ‘estado’, com 55 pontos, após crescer 2,8 pontos e, por último, o componente ‘economia brasileira’ (+ 1,3 pontos), totalizando 54,1 pontos. Além do crescimento em seus componentes, a alta das expectativas sinaliza um cenário de confiança empresarial na continuidade do crescimento do volume de produção e no nível de atividade na construção.

No que se refere aos setores, os empresários da construção civil demonstram maior confiança ao registrar 59,6 pontos depois do expressivo crescimento de 8,8 pontos, enquanto os demais segmentos industriais totalizaram 55,6 pontos após subir 1,3 pontos no mês, o que demonstra que todos os setores alcançaram a faixa de otimismo do ICEI.

“O desempenho da construção foi superior devido, em boa parte, à aproximação do período sazonal de sua maior atividade, ensejando, por isso, em aumento de contratações, compra de matérias-primas e lançamentos de novos empreendimentos”, explicou o economista e coordenador de Ações Estratégicas da FIEMA, José Henrique Braga Polary .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *