20 de maio de 2024
DestaquesGeralPolítica

Eduardo Bolsonaro diz que “esquerda” cancelou Comissão que ele usaria para mentir nos EUA

Bolsonaristas nos EUA em visita ao deputado cassado George Santos. Foto: reprodução

DCM – O Congresso dos Estados Unidos adiou, “por tempo indeterminado”, segundo o bolsonarista Paulo Figueiredo e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), a Comissão de Direitos Humanos, que seria realizada na próxima terça-feira (12), sob o tema “Brasil: Uma Crise da Democracia, Liberdade e Estado de Direito?”.

Segundo o neto do ditador João Figueiredo, eles foram convidados pela Comissão após serem entrevistados pelo ex-jornalista da Fox News Tucker Carlson no dia 29 de fevereiro. Na ocasião, o filho do ex-presidente espalhou diversas fake news sobre o Brasil afirmando que vivemos uma ditadura que persegue profissionais da imprensa.

“Para nossa surpresa, recebemos uma ligação ontem dizendo que a audiência havia sido bloqueada pelo deputado Jim McGovern, do partido Democrata de Massachusetts, e temporariamente adiada”, lamentou Figueiredo em um vídeo publicado no YouTube, culpando uma suposta articulação do que ele chama de “esquerda global”.

Já o deputado federal por São Paulo foi ao X, alegar que haveria uma articulação “para calar a verdade sobre o que está ocorrendo no Brasil”, complementando que os democratas “recorreram à censura, que é a arma dos covardes e fracos”.

“Estamos incomodando. Foi necessário a esquerda e o establishment se movimentarem a ponto de um deputado americano, @RepMcGovern, se expor para vetar nossa audiência no Congresso americano. Isso é tão raro que parlamentares americanos nem imaginavam que um vice-presidente de comissão poderia fazê-lo”, disse. “Não é só no Brasil que a esquerda se apropria do termo ‘direitos humanos’ e seleciona em quem jogará a culpa por suas supostas violações”.

A dupla não revelou exatamente o que falaria na Comissão, mas a recente participação deles ao programa de Carlson pode dar uma norte sobre o que queriam tratar. Veja a entrevista de Eduardo Bolsonaro e Paulo Figueiredo a Tucker Carlson, traduzida por IA.

Durante a entrevista, Eduardo e Figueiredo alegaram que o Brasil se tornou uma ditadura, com perseguição a jornalistas como o bolsonarista Allan dos Santos. No entanto, ambos os bolsonaristas são investigados por seus ataques à democracia e ao sistema eleitoral.

O filho “03” de Bolsonaro também alegou que o Brasil “não é mais uma democracia”, recebendo apoio do entrevistador acusado de espalhar fake news para favorecer o ex-presidente dos EUA Donald Trump. Em outro trecho da entrevista, é a vez do jornalista mentir sobre o Brasil ao afirmar que a eleição foi “roubada” por Lula.

Eduardo ainda mentiu sobre o ex-deputado e influenciador Daniel Silveira contando que ele está preso porque denunciou o Supremo Tribunal Federal. “Tem um congressista na cadeia porque fez um vídeo, Tucker, falando coisas ruins sobre a Suprema Corte. Esse homem, um congressista, foi condenado a 9 anos. Seu nome é Daniel Silveira”, contou.

Após a declaração, o apresentador estadunidense se disse assustado por saber que o bolsonarista estaria preso simplesmente por criticar membros do Supremo Tribunal Federal (STF), sem de fato ter conhecimento das ameaças envolvidas no processo.

“No Brasil temos alguns artigos na Constituição que garantem a senadores e congressistas, como eu, que você não receba nenhum tipo de punição sobre o que fala. Nós temos liberdade de expressão no Brasil, ao menos na Constituição. Mas esse deputado está na prisão e as coisas estão piorando”, prosseguiu com seu relato cheio de fake news.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *