27 de maio de 2024
DestaquesGeralPolítica

O poder do voto no combate à extrema pobreza do Estado

Por Raimundo Borges

O Imparcial – As eleições de outubro no Maranhão têm tudo a ver com alguns fatos que passam bem distantes das urnas eleitorais. O principal deles não tem nada a ver com quem pode ganhar o comando dos municípios, mas sim com qual proposta os eleitos poderão mudar para melhorar a vida da população de cada um dos 217 municípios.

Como estado que continua na rabeira do ranking de desenvolvimento, o segundo maior do Nordeste em território tem urgência em ser também o segundo em qualidade da Educação, na distribuição de renda, na saúde pública, na produção industrial e na geração de empregos com tecnologia.

Dados oficiais divulgados pelo governo do Estado indicam que o Produto Interno Bruto (PIB) maranhense teve um crescimento, em 2023, de 6,4%, o maior do Nordeste, com o PIB corrente de R$ 19,118 bilhões. Como no Brasil muitas pesquisas econômicas e sociais são produzidas com parâmetros diferenciados, elas acabam formando um retrato desfigurado da realidade.

Em janeiro de 2023, o Maranhão contava com 10 cidades em situação de extrema pobreza, vivendo de benefícios dos programas sociais dos governos federal e estadual. São eles: Matões do Nortes, Santo Amaro, Central do Maranhão, Primeira Cruz, Itaipava do Grajaú, Cajapió, Nina Rodrigues, Peri Mirim, Satubinha e Cajari.

Na maioria dos municípios do Maranhão, os empregos são púbicos, situação que acaba por fortalecer as oligarquias familiares no comando da política local e tornando voto,uma barata mercadoria de barganha. A pobreza é o maior fertilizante do clientelismo eleitoral. É o alimento no qual pastam os políticos mal intencionados.

Daí a necessidade de uma reação de baixo para cima – dos eleitores pobres buscarem seus direitos em educação de qualidade, entender o poder do voto livre na escolha de vereadores e prefeitos honestos e escapar das armadilhas das políticas predatórias.

O governador Carlos Brandão pegou o governo com um programa de Educação bem estruturado, com escolas dignas no ensino básico em tempo integral, os IEMAs no técnico e a UEMA ampliada para o interior. Ele manteve o vice-governador Felipe Camarão à frente da Secretaria de Educação não apenas para continuar o que fez no governo Flávio Dino, mas para ampliar o alcance dessas medidas.

Brandão conhece como poucos a realidade política, social e econômica do Maranhão. Para enfrentar os desafios da pobreza, ele já conta com ampla apoio político em Brasília e no Estado e, principalmente, no setor privado.

O que interessa, portanto, nas eleições de 2024 não é apenas cada partido ou grupo elegerem o maior número de prefeitos e vereadores. A população quer ter gente capacitada para criar, inovar e fazer o crescimento bater à porta de cada maranhense. A pobreza não é genética, é uma condição desfavorável que pode ser enfrentada.

Ampliar o parque industrial para fora de São Luís, Imperatriz, Balsas, Santos Antônio dos Lopes e fazê-lo gerar riqueza na Baixada e no Sertão, são passos que precisam ser dados. Para isso é urgente elevar o nível do ensino e inserir a juventude no processo de tecnologiasque dominam os empregos de maior salário.

PÍLULAS POLÍTICAS 

Abrindo espaço (1)

O senador Weverton Rocha custou a se recuperar do tombo que levou nas urnas em 2022, quando perdeu para o desconhecido Lhaésio Bonfim na disputa do governo, ficando em 3º lugar. Agora, o pedetista submerge forte nas articulações municipais.

Abrindo espaço (2)

Hoje, Weverton faz propaganda do PDT, destacando a figura do presidente Lula e tem estado cada vez mais próximo do ministro do STF, Flávio Dino, mas nem tanto do governador Carlos Brandão que o terá como adversário. Ou não, em 2026.  

Abrindo espaço (3)

Weverton Rocha, um articulador nato desde os movimentos estudantis, está voltando forte tanto no Senado como amigo do presidente Rodrigo Pacheco, quanto na movimentação no interior do Maranhão, já preocupado com a pedreira da reeleição lá na frente.

LDO no parlamento (1)

Dentro do prazo legal, 15/04, o governador Carlos Brandão já entregou na Assembleia Legislativa o projeto de lei de Diretrizes Orçamentárias de 2025. Com maioria esmagadora e a força da presidente Iracema Vale, a peça não terá problema na Alema.

LDO no parlamento (2)

A entrega da LDO na Alema pelo titular do Planejamento Vinícius Ferro,  mereceu até cerimônia com um grupão de deputados da base aliada de Brandão. O texto é resultado de amplo debate, em audiências públicas com a população.

Precaução

Com baixo índice de intenção de voto nas pesquisas até aqui realizada sobre a disputa da prefeitura de São Luís, o ex-prefeito Edivaldo Júnior preferiu desistiu do pleito e acumular energia para as eleições proporcionais de 2026.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *