27 de maio de 2024
DestaquesEconomiaGeral

FIEMA e CIEMA divulgam relatório sobre Monitoramento da Qualidade do ar em São Luís

Fiema – A Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) e o Centro das Indústrias do Estado do Maranhão (CIEMA) esclarecem que contrataram a empresa Tetra Tech para avaliação da Rede de Monitoramento da Qualidade do Ar (RAMQAr) do Distrito Industrial de São Luís, em virtude da discordância dos dados divulgados pela Secretaria de Estado de Indústria e Comércio do Maranhão (SEINC), em 2023. O estudo observou requisitos e recomendações técnicas nacionais e internacionais, constatando que o relatório da secretaria é incompleto e impreciso.

Na avaliação foi apurado que das 36 estações compactas que deveriam ser instaladas em toda a cidade, apenas 06 foram implantadas nos bairros Anjo da Guarda, Santa Bárbara, Vila Maranhão, Vila Sarney, Pedrinhas e Coqueiro. Sendo que a unidade de referência móvel, de alta precisão para medição não foi instalada e nem disponibilizada para o monitoramento.

Conforme o relatório da Tetra Tech, os equipamentos utilizados na RAMQAr do Distrito Industrial não correspondem aos métodos de referência ou equivalentes para o monitoramento do ar, conforme recomendado pelo Guia Técnico do Ministério do Meio Ambiente. Ademais, as estações estão em locais com presença de obstáculos ou árvores, o que prejudica a circulação de ar na entrada dos dispositivos, contribuindo para erros nos dados apresentados. O documento ainda cita que não há evidências de calibrações nos dois anos subsequentes a instalação dos aparelhos, prejudicando assim a garantia de precisão dos dados.

Estação de Monitoramento da Qualidade do Ar localizada no bairro Coqueiro em São Luís, utilizada pela SEINC     Fonte: Tetra Tech

Em relação aos resultados gerados pela RAMQAr avaliou-se que os números brutos possuem aumentos e reduções expressivos, mostrando a discrepância dos resultados ora com valores altíssimos e ora com valores abaixo do limite de detecção.

Para o vice-presidente executivo da FIEMA e presidente do CIEMA, Cláudio Azevedo, não há referências que comprovem a exatidão dos resultados divulgados pela SEINC. “Até a maneira como a plataforma da Secretaria divulga os dados do monitoramento não corresponde ao formato estabelecido na Resolução CONAMA e no Guia do Ministério do Meio Ambiente. Com o estudo técnico ficou evidente que eles são dados brutos, sem devida verificação e a validação da SEMA”, afirmou.

O índice de Qualidade do Ar fornecido pela plataforma é constituído por médias horárias ao invés de médias de 24h e médias móveis de 8h, adequado aos poluentes SO2, MP10, MP2,5, CO e O3. Médias horárias são muito maiores que as médias de 8h ou 24h, resultando em um Índice de Qualidade do Ar superior ao que deveria ser informado.

Estação da CETESB em São José dos Campos/SP       Fonte: Tetra Tech

“Vale ressaltar que a Usina Itaqui da empresa ENEVA, por exemplo, está desligada desde 2021, sem gerar nenhum tipo de lançamento na atmosfera. Inclusive quero destacar que todas as indústrias são monitoradas pela SEMA e enviam mensalmente seus relatórios, requisito indispensável para o licenciamento”, declarou Cláudio Azevedo.

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS – Um estudo sobre Doenças Respiratórias na cidade de São Luís, oriunda da pós-graduação da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), constatou que o aumento de 70% da frota de veículos da capital, junto com as mudanças climáticas é uma das explicações para a variação das doenças respiratórias. Inclusive a distribuição do agravo em São Luís, apresentou-se com maior concentração na área urbana. Isso contradiz as afirmações recentemente divulgadas na imprensa, de que a população dos bairros localizados próximos as indústrias estão mais vulneráveis, devido ao alto índice de poluição.

One thought on “FIEMA e CIEMA divulgam relatório sobre Monitoramento da Qualidade do ar em São Luís

  • Gustavo Hélio G Nobre

    Estive na audiência pública de fevereiro e realmente o representante da SEINC responsável pelos monitoramentos, informou várias falhas e problemas de monitoramento que estavam causando o registro de dados anômalos, porém que não foram corrigidos, e que gerava essa interpretação equivocada dada na mídia. O MP deu até prazo pra SEMA-MA se manifestar sobre.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *